Notícias e Publicações

Notícias

15/03/2019

Foco do associado: você, nosso plano

Superávit do Plano 1 em 2018 foi de R$ 6,5 bilhões

 

O resultado positivo do Plano 1 em 2018 permitiu a geração de superávit acumulado de R$ 6,5 bilhões. Os números reforçam a qualidade dos ativos da carteira do Plano 1, a Política de Investimentos consistente e o corpo técnico qualificado da Previ. A rentabilidade acumulada do Plano em 2018 foi de 18,82%, mais do que o dobro da meta atuarial do período, de 8,61%.

O superávit acumulado de R$ 6,5 bilhões já considera o impacto referente ao aumento da Reserva Matemática em R$ 4,1 bilhões, com a atualização da Tábua Atuarial, que trouxe mais segurança aos associados e ao Plano ao acompanhar a longevidade dos participantes. As médias das expectativas de vida dos participantes da Previ são, atualmente, de 86,19 anos para os homens e de 89,70 para mulheres. A Entidade possui 67 aposentados e pensionistas com mais de 100 anos. Há seis anos, eram apenas 13 pessoas. Estamos vivendo mais e melhor, como explicado em matéria publicada em 25/1/2019.

Um plano maduro como o Plano 1 requer menos risco e mais liquidez. O Equilíbrio Atuarial é um dos objetivos da Previ – em que a rentabilidade das aplicações equivalente à meta atuarial é mantida, permitindo o cumprimento do contrato previdenciário.

O superávit acumulado do Plano 1, de R$ 6,5 bilhões, passa a constituir a Reserva de Contingência – um colchão de recursos que ajuda a proteger o plano contra eventos futuros e incertos. Eventuais utilizações do superávit acumulado só poderão ser efetuadas caso o limite da Reserva de Contingência calculada para o Plano 1 – que equivale a cerca de R$ 33 bilhões – seja ultrapassado. Resumidamente: de acordo com a legislação vigente, o Plano 1 só voltaria a distribuir superávit se tivesse um resultado positivo acima de R$ 33 bilhões.

É importante lembrar que, em um plano de perfil maduro como o Plano 1, com a maioria dos associados já em fase de aposentadoria, a tendência é cada vez mais sair dinheiro para pagar benefícios, o que diminui a probabilidade de uma nova distribuição de superávit.

Destaques

O segmento com mais destaque em 2018 foi o de renda variável, com uma rentabilidade no ano de 29,44%. Essa carteira equivale a 50,31% dos ativos totais do Plano 1. Foram realizados desinvestimentos líquidos de R$ 7,1 bilhões, dando continuidade à estratégia de redução da renda variável no médio prazo, com desconcentração da carteira. Foi aproveitado o momento de maior valorização dos ativos, no terceiro trimestre.

A rentabilidade da renda fixa em 2018 foi de 10,88%, acima da meta atuarial de 8,61% e da meta do segmento, que foi de 9,12% (INPC + 5,5%).

Confira a rentabilidade por segmento dos investimentos do Plano 1:

 

Segmento Rentabilidade acumulada Benchmark Alocação (Em R$ bilhões) Alocação (em% da carteira)
Renda Variável 29,44% 15,42% R$ 90,34 50,31%
Renda Fixa 10,88% 9,12% R$ 75,24 40,76%
Imóveis 9,76% 11,71% R$ 9,97 5,38%
Investimentos Estruturados 26,55% 9,97% R$ 0,92 0,50%
Investimentos no Exterior 3,52% 4,91% R$ 0,14 0,08%

 

Vale

As ações de Litel, holding pela qual a Previ investe em Vale S.A., tiveram a sua metodologia de precificação revisada em 2018. O novo cálculo, com precificação ao final de cada mês, determina uma média ponderada das cotações das ações da Vale dos três meses anteriores ao último dia útil do mês corrente. A valorização do ativo na bolsa de valores refletida na nova precificação contribuiu decisivamente para o resultado positivo do plano.

Desde o rompimento da barragem de Brumadinho, em janeiro de 2019, a Previ, na qualidade de acionista, tem acompanhado os desdobramentos do caso, certificando-se de que a Vale está dando todo o suporte possível para os atingidos, e adotando as providências para apurar os motivos do acidente.

Foco do associado

O Plano 1 tem 113.173 associados, dos quais 91% já recebem benefícios – só em 2018, foram pagos R$ 12 bilhões em complementos de aposentadoria e pensões. Para cumprir sua missão, a Previ investe os recursos do Plano – R$ 189,8 bilhões em ativos – em uma carteira diversificada, com investimentos em renda fixa e variável, imóveis, investimentos no exterior, investimentos estruturados e operações com participantes.

O resultado da Previ é a soma de diversos fatores. Um deles é o trabalho do corpo técnico da Entidade, formado por associados. É o olhar dos associados, como donos, que direciona a Previ, o que está representado no valor “Foco do associado”. Esse “olhar do dono” está incorporado diariamente nas ações da Entidade.  Conhecer os participantes e entender as suas necessidades é fundamental no cumprimento da missão da Previ, “de pagar benefício a todos nós, associados, de forma eficiente, segura e sustentável”. 

Quer saber mais sobre os Valores da Previ? Clique aqui para conhecer todos.