PREVI

Notícias e Publicações

Notícias

03/01/2017

Preserve o Salário de Participação e evite perdas na aposentadoria

Você pode manter o nível de contribuição para a PREVI se a remuneração diminui, no prazo de 90 dias após ter ocorrido a perda.

Com a implementação da Reorganização Institucional do BB, é ainda mais importante ficar atento às oportunidades de Preservação de Salário. Os funcionários do Banco do Brasil que são associados da PREVI, tanto do Plano 1 quanto do PREVI Futuro, que tiverem queda de remuneração podem pedir a Preservação do Salário de Participação e evitar perdas na sua aposentadoria. Mas como isso funciona?


Preservação de salário

A Preservação de Salário de Participação é uma opção que permite que o associado realize uma contribuição para a PREVI com base no salário mais alto, anterior a queda de remuneração, que pode ter sido ocasionada por descomissionamento, reclassificação de agência, fim de adicional noturno, interrupção de substituição, redução de horas extras e entrada em licença sem remuneração, entre outros motivos.

Nem todas as verbas recebidas pelo funcionário dão direito a preservação de salário. O recebimento de adicional de férias, por exemplo, não gera perda passível de preservação de salário de participação. Conversões em espécie de adicional de férias, licenças prêmio e abonos não resultam em perda de remuneração, por serem verbas indenizatórias.

Para quem é associado do Plano 1, a Preservação pode ser vital para conseguir uma aposentadoria melhor. É que o benefício nesse plano é calculado com base na média dos últimos 36 salários de participação anteriores ao mês da aposentadoria. Qualquer queda de remuneração nesse período pode influenciar negativamente no cálculo do valor do benefício.

Para quem é do PREVI Futuro, a Preservação de Salário significa guardar mais dinheiro no saldo de conta para engordar o benefício da aposentadoria. Além disso, os associados do PREVI Futuro também ganham uma proteção extra, pois o benefício por invalidez ou morte do participante em atividade no Plano é calculado com base na média dos 36 salários de participação anteriores ao mês de concessão do benefício do associado.

Salário de participação a preservar

O cálculo é feito com base na média aritmética simples dos 12 salários de participação anteriores ao mês em que ocorreu a perda de remuneração. Uma vez autorizada a preservação, mensalmente haverá a comparação entre o salário preservado e o salário de participação do mês. Sempre que o preservado for maior, será cobrada a contribuição opcional. Nesse caso, o associado fica responsável pelos acréscimos de contribuições pessoais e patronais, mensais a anuais que se verifiquem sobre a diferença preservada. A partir de então, o limite mínimo de participação será o valor do salário preservado.

Como solicitar

A preservação do Salário de Participação deverá ser solicitada pelo associado no prazo máximo de 90 dias, contados a partir do dia 20 do mês em que ocorreu a perda de remuneração.

É possível fazer o pedido de preservação do Salário de Participação pelo Autoatendimento do site da PREVI, opção Preservação Salário de Participação. A opção traz gráficos e cálculos personalizados e indica, caso a caso, se há ou não valores a preservar.

O ideal é que o participante verifique no site, uma vez por mês, após a folha de pagamento do Banco do Brasil, mesmo que já tenha uma preservação cadastrada, pois poderá surgir um salário de participação a preservar maior.

É sempre bom lembrar que os participantes que declaram o Imposto de Renda no formulário completo podem abater a contribuição na Declaração Anual até o limite de 12% da renda tributável.