• Notícias e Publicações
  • Sala de Imprensa
  • Fale Conosco
  • Ouvidoria
  • Recadastramento
  • Previ in English

Notícias e Publicações

Notícias

28/12/2018

Previ, BNDES e outros fundos de pensão se unem em análise socioambiental de empresas investidas

Iniciativa visa analisar critério sustentável no mercado e criar valor para investidores institucionais e companhias.

A Previ se juntou à BNDESPar, sociedade de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e aos fundos de pensão Petros (Petrobras), Valia (Vale) e Real Grandeza (Furnas) para analisar os critérios socioambientais e de governança adotados pelas empresas em que investem. Por meio de um questionário socioambiental desenvolvido em conjunto pelas entidades, as companhias deverão indicar suas ações nesse âmbito. O termo de compromisso foi assinado pelas cinco instituições no dia 17/12, no Rio de Janeiro. Juntos, a BNDESPar, a Previ e as demais fundações reúnem um patrimônio de R$ 410 bilhões.
 

A primeira etapa da iniciativa consiste em diagnosticar como as companhias atuam no tema socioambiental e governança, seguida da organização e análise das informações obtidas para subsidiar processos de decisão de investimentos sustentáveis. Reforçar a ideia de integração das questões sociais, ambientais e de governança com as práticas de investimentos e diálogo com as empresas, minimiza riscos e contribui para a criação de valor no longo prazo. A atuação coordenada é pioneira entre os investidores e busca incentivar as empresas investidas a adotarem práticas socioambientais e de governança sob padrões mais elevados de desempenho.

Para Renato Proença, diretor de Participações da Previ, o grupo atuará como um indutor na área de sustentabilidade para outros participantes do mercado. Ele destacou ainda que focar nesses critérios de maneira menos formalista e mais palpável já é uma necessidade atual para as empresas, que precisam compreender de fato a sua importância. "O recado mais claro às corporações é: se preocupem, pratiquem e não olhem os temas socioambientais só para produzir informes, mas para que eles entrem de fato na cultura das companhias", disse. Além das fundações, outros interessados no assunto também poderão integrar o grupo, completou.

O objetivo do projeto é obter indicadores para entender a atuação das companhias em questões  relacionadas à diversidade de gênero, práticas ambientais, monitoramento de emissões de gases de efeito estufa, por exemplo. Com foco nas companhias abertas, espera-se alcançar praticamente todas as empresas que fazem parte do índice IBR-X, com previsão de ampliar essa base para títulos de renda fixa e sociedades fechadas.

O processo beneficia investidores e empresas, uma vez que as práticas serão revistas e aprimoradas, com foco também na criação de valor. Será possível identificar ações ainda não divulgadas suficientemente pelas empresas, o que possibilita mudanças na precificação e na forma como são avaliadas no mercado.

Pilar sustentável

A Previ já adota uma série de práticas de governança corporativa e de responsabilidade socioambiental na condução de seus negócios, presentes inclusive em suas Políticas de Investimentos. Sua preocupação com o desenvolvimento de boas práticas de investimento responsável no mercado brasileiro vem de longa data: é signatária dos Princípios para o Investimento Responsável (PRI) desde sua criação, em 2006.

O Código Previ de Melhores Práticas de Governança Corporativa, publicado em 2004 e revisado pela segunda vez este ano, e o Guia de Melhores Práticas de ASGI em Investimentos, lançado em 2018, são outras iniciativas da Entidade que buscam incentivar entidades de previdência complementar a incorporar às suas decisões de investimentos os princípios ambientais, sociais, de governança corporativa e de integridade.

A Previ reconhece seu papel de influenciadora como investidora institucional e acredita que a utilização das práticas ASGI tende a proporcionar às outras entidades o desenvolvimento de suas estratégias e negócios, com o intuito de propiciar a manutenção de ambientes sustentáveis e favorecer a perenidade dos fundos de pensão, em linha com o cumprimento do dever fiduciário e a missão de pagar benefícios a seus participantes.