PREVI

Notícias e Publicações

Notícias

09/11/2017

Reingresso à Previ: de volta para o futuro

Voltar a ser um participante do Previ Futuro pode ser mais fácil do que você imagina.

Você sabia que pode reingressar ao Previ Futuro pagando apenas os valores relativos às contribuições da Parte I (Benefícios de Risco)? Essa opção reduz o valor necessário para retorno ao Plano e facilita o reingresso.


A partir do seu retorno, você volta à condição de participante e contribui com 7% de seu salário de participação. O Banco do Brasil contribui com igual valor, o que já garante 100% de retorno para seu saldo no Plano. Mais do que isso, reingressar no Plano é voltar a contar com a tranquilidade oferecida pela Previ. Mas lembre-se de que o reingresso somente é permitido aos funcionários ativos na patrocinadora e depende de requerimento à Previ.

Previ facilita o reingresso ao Plano

O funcionário do Banco que deseja retornar ao Previ Futuro conta com o ES-Reingresso. É um empréstimo que pode ser usado para recompor apenas as contribuições da Parte I (Risco) ou as contribuições das Partes I e II (Benefícios de Risco e Programado).

Para obter simulações de Reingresso, inclusive com contratação de ES-Reingresso, entre em contato com a Previ pelo Fale Conosco do site - www.previ.com.br, ou pela Central de Atendimento nos telefones 0800 729 0505 e 0800 031 0505.

Participantes falam sobre a volta ao Plano

Algumas pessoas, por motivos transitórios, tomam a decisão de sair do Previ Futuro. Foi o caso de Leonardo Araújo. “Minha segunda filha tinha nascido e o orçamento ficou muito apertado. Mas eu já tinha informações suficientes sobre o Plano. Isso me deu a certeza de que o retorno era necessário em algum momento.” Outros colegas no início de carreira no Banco do Brasil, por dúvidas se permanecerão ou não, preferem desligar-se da Previ, o que não é necessário, pois mesmo saindo do BB a pessoa pode permanecer como participante e ter a tranquilidade proporcionada pela Previ. A participante Nirley Matos teve esse tipo de dúvida: “eu decidi não me manter no plano, pois achava que iria sair do Banco em dois anos (...), mas aos poucos, quando fui permanecendo, percebi que precisava regularizar essa situação”. Às vezes, o fato de não ter buscado informações suficientes sobre o plano é que faz o funcionário tomar decisões precipitadas. “Acho que sempre podemos buscar nos informar melhor e compreender mais como se dá todo esse processo de adesão ao plano. Hoje em dia a informação está mais acessível através dos meios digitais”, declara a colega Nirley Matos.