PREVI

Notícias e Publicações

Notícias

07/12/2016

Rumo ao futuro: Políticas de Investimentos são atualizadas

Documentos trazem direcionamento dos planos da PREVI de 2017 a 2023.

 

As Políticas de Investimentos dos planos de benefícios da PREVI foram revisadas. Os documentos trazem um conjunto de diretrizes que norteiam a gestão dos ativos dos planos de benefícios de 2017 até 2023, em busca do equilíbrio e da perenidade dos planos.

O Diretor de Planejamento José Carlos Reis da Silva, o Zeca, explica a importância dos documentos: “As Políticas são ferramentas fundamentais, que propiciam aos gestores uma direção para investir de forma equilibrada e proporcionam um caminhar mais seguro para que o associado tenha garantido o pagamento dos seus benefícios. Nosso viés de longo prazo permite que busquemos as melhores oportunidades no mercado”.

A revisão das Políticas acontece anualmente. Os documentos são desenvolvidos pela Diretoria de Planejamento, executados pela Diretoria de Investimentos e aprovados pela Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo. Essa segregação de funções traz mais segurança no processo de gestão de investimentos e fortalece o modelo de governança da PREVI, que é reconhecidamente um dos mais modernos do segmento de previdência complementar do país.

As Políticas de Investimentso se adequam as particularidades de cada Plano, respeitando os limites prudenciais de risco e exposição. “A PREVI, além de cumprir a legislação, vai além. E é esse olhar à frente que nos protege”, explica o Diretor de Planejamento Zeca. Na construção das Políticas é utilizado um modelo de ALM (asset and liability management – gestão de ativos e passivos) que considera mais de mil cenários macroeconômicos possíveis pra avaliar o comportamento dos investimentos e busca a excelência na cultura de Gestão Baseada de Risco, com uma Política de Riscos que inclui conceitos, princípios e diretrizes a serem adotados na gestão da PREVI.

As alocações de recursos do Plano 1 e no PREVI Futuro foram ajustadas após profunda análise dos critérios de risco e de exposição. Em um período com uma conjuntura desafiadora, a análise das perspectivas das economias mundial e brasileira foi fundamental para subsidiar os estudos que compuseram as Políticas. Para o período de 2017 a 2023 a Política prevê uma redução planejada da renda variável no Plano 1. O objetivo é garantir um nível de liquidez confortável para o pagamento de benefícios. Como explica o Diretor de Investimentos Marcus Moreira: “Dada a maturidade do Plano 1, entendemos que é necessário diminuir a exposição em renda variável paulatinamente, a longo prazo, para gerar uma estabilidade maior”. Clique aqui para conhecer as alocações dos ativos do Plano 1.

Para o PREVI Futuro é importante manter o foco na maximização do saldo de contas, como explica o Diretor de Planejamento Zeca: “Nesse plano é o saldo de contas que constrói a aposentadoria de cada associado. Um dos pilares que auxilia nesse caminhar é a gestão dos ativos, por isso buscamos rentabilidade e segurança”. Confira as alocações dos ativos do PREVI Futuro.

Também foram atualizadas as Políticas de Investimentos da Carteira de Pecúlios, a Capec, e do Plano de Gestão Administrativa, o PGA.

O referencial inicial na construção das Políticas de Investimentos é a missão da PREVI, de “garantir o pagamento de benefícios dos associados de forma eficiente, segura e sustentável”. A revisão de 2017-2023 vincula os documentos aos quatro objetivos estratégicos da Entidade, que são “Fortalecimento na relação com associados e soluções adequadas para cada perfil”, “Gestão eficiente e eficaz”, “Balanceamento da gestão de investimentos com necessidades do passivo do Plano 1” e “Maximização do benefício do participante do Plano PREVI Futuro dado seu perfil de risco”. O objetivo é fazer a aplicabilidade dos documentos ainda mais eficiente.

As Políticas de Investimentos são instrumentos constantes para acompanhar a conjuntura. Monitoram não só as possíveis dificuldades que serão enfrentadas, mas também novas oportunidades. Por isso a PREVI busca de forma permanente ter Políticas de Investimentos dinâmicas, prontas para os desafios dos próximos sete anos.

Confiram a matéria publicada no jornal Valor Econômico desta quinta-feira, 8/12, sobre as Políticas de Investimentos da PREVI.

 

 

Politica_Valor.jpg