Sala de Imprensa

Releases

15/03/2019

Previ termina 2018 com superávit de R$ 6,5 bilhões no Plano 1

Rentabilidade acumulada do Plano 1 foi de 18,82%, e do Previ Futuro de 14,06%. Meta no mesmo período foi de 8,61%.

 

O ano de 2018 foi particularmente complexo para o país, diante das incertezas dos ambientes político e econômico. Apesar deste cenário, a Previ teve um ano positivo, com desempenhos superiores à meta atuarial acumulada de 8,61% em seus planos de benefícios. O Plano 1, o mais antigo da Entidade e de Benefício Definido, teve um resultado superavitário de R$ 6,5 bilhões e uma rentabilidade acumulada de 18,82%. A rentabilidade do Previ Futuro, o plano de Contribuição Variável que existe desde 1998 e atualmente já é um dos maiores do mercado de previdência complementar fechada, foi de 14,06%.

Equilíbrio

As previsões de uma retomada mais expressiva do crescimento econômico em 2018 não se concretizaram por completo. Enquanto o Ministério do Planejamento projetava, ao fim de 2017, um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de até 3,0%, o resultado final ficou em 1,3% – cifra que confirmou a tendência de recuperação após uma longa recessão, embora em ritmo ainda lento. Mesmo diante dos desafios da conjuntura econômica, a Previ manteve o resultado positivo no ano, assim como já tinha acontecido em 2016 e 2017.

Além de ser a maior instituição brasileira do segmento – e considerada pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc, principal órgão de supervisão do setor) como uma Entidade Sistemicamente Importante (ESI), – a Previ é uma referência no setor de previdência complementar fechada em termos de resultados financeiros, eficiência na gestão e integridade em seus processos de governança. Essa posição é garantida por uma série de diferenciais, diretamente relacionados aos capitais empregados pela Instituição, como o corpo técnico formado por especialistas, associados ao plano de benefícios. Além da observância das melhores práticas de administração, garantidas pelo modelo de governança fortalecido da Previ.

Plano 1

O Plano 1 tem 113.173 associados, dos quais 91% já recebem benefícios – só em 2018, foram pagos R$ 12 bilhões em complementos de aposentadoria e pensões. Para cumprir sua missão, a Previ investe os recursos do Plano – R$ 189,8 bilhões em ativos – em uma carteira diversificada, com investimentos em renda fixa e variável, imóveis, investimentos no exterior, investimentos estruturados e operações com participantes.

O superávit acumulado de R$ 6,5 bilhões do Plano 1 já considera o impacto referente ao aumento da Reserva Matemática em R$ 4,1 bilhões, com a atualização da Tábua Atuarial, que trouxe mais segurança aos associados e ao Plano ao acompanhar a longevidade dos participantes. As expectativas médias
de vida dos participantes da Previ são, atualmente, de 86,19 para os homens e de 89,70 para mulheres. A Entidade possui 67 aposentados e pensionistas com mais de 100 anos. Há seis anos, eram apenas 13 pessoas.

Um plano maduro como o Plano 1 requer menos risco e mais liquidez. O Equilíbrio Atuarial é um dos objetivos da Previ – em que a rentabilidade das aplicações equivale à meta atuarial, permitindo o cumprimento do contrato previdenciário.

“A estratégia de desinvestimento gradual para o Plano 1 continua. Em 2018 aceleramos o ritmo de vendas de ações a partir do terceiro trimestre, buscando aproveitar as melhores oportunidades no mercado. É importante ressaltar que, ainda que nossa estratégia seja de desconcentração, esta somente é implementada quando vislumbramos boas oportunidades para o Plano de Benefícios”, explicou o presidente da Previ, José Maurício Pereira Coelho.

O segmento com mais destaque do Plano 1 em 2018 foi o de renda variável, com uma rentabilidade no ano de 29,44%. Essa carteira equivale a 50,31% dos ativos totais do Plano 1. Foram realizados desinvestimentos líquidos de R$ 7,1 bilhões, dando continuidade à estratégia de redução da renda variável no médio prazo, com desconcentração da carteira.

Confira a rentabilidade por segmento dos investimentos do Plano 1:

 

Segmento Rentabilidade acumulada Benchmark Alocação (Em R$ bilhões) Alocação (em% da carteira)
Renda Variável 29,44% 15,42% R$ 90,34 50,31%
Renda Fixa 10,88% 9,12% R$ 75,24 40,76%
Imóveis 9,76% 11,71% R$ 9,97 5,38%
Investimentos Estruturados 26,55% 9,97% R$ 0,92 0,50%
Investimentos no Exterior 3,52% 4,91% R$ 0,14 0,08%

 

Vale

As ações de Litel, holding pela qual a Previ investe em Vale S.A., tiveram a sua metodologia de precificação revisada em 2018. O novo cálculo, com precificação ao final de cada mês, determina uma média ponderada das cotações das ações da Vale dos três meses anteriores ao último dia útil do mês corrente. A valorização do ativo na bolsa de valores refletida na nova precificação contribuiu decisivamente para o resultado positivo do plano.

Desde o rompimento da barragem de Brumadinho, em janeiro de 2019, a Previ, na condição de acionista, tem acompanhado os desdobramentos do caso e se certificado de que a Vale está dando todo o suporte possível para os atingidos, além de adotar as providências para apurar os motivos do acidente.

Previ Futuro

O Previ Futuro é um plano com 85.965 associados, dos quais 84.230 ainda estão na ativa. É um plano jovem, iniciado em 1998, em que o participante pode contar com a experiência e solidez de uma Entidade com 114 anos. Em 2018 o Previ Futuro alcançou R$ 15 bilhões em ativos totais.
Como um plano de contribuição variável, a gestão dos investimentos caminha lado a lado com o trabalho de conscientização dos participantes em relação à educação previdenciária e ao acompanhamento de suas reservas pessoais.

O Previ Futuro negociou cerca de R$ 1,2 bilhão em ações em 2018. Os investimentos permaneceram focados em empresas sólidas, capazes de gerar bons resultados financeiros, dividendos e valorização no longo prazo. A carteira de renda variável do Previ Futuro teve uma rentabilidade acumulada no ano de 17,66%, acima do índice de referência do Plano de 8,61% e do benchmark do segmento (IBrX), que foi de 15,42%.

O segmento de investimentos estruturados é um dos principais destaques da carteira do Previ Futuro, com uma rentabilidade de 38,64%. O desempenho do segmento foi muito superior à meta prevista para o período, que era de 8,93% (IPCA + 5,0% a.a.). A carteira de investimentos estruturados é equivalente à 1,02% dos ativos do Previ Futuro.

Confira a rentabilidade por segmento dos investimentos do Previ Futuro:

Segmento Rentabilidade acumulada Benchmark Alocação (em R$ bilhões) Alocação (em % da carteira)
Renda Variável 17,66% 15,42% R$ 3,37 23,05%
Renda Fixa 12,65% 9,12% R$ 8,99 61,11%
Imóveis 8,04% 11,71% R$ 0,52 3,56%
Investimentos Estruturados 38,64% 8,93% R$ 0,15 1,02%
Investimentos no Exterior 3,52% 4,91% R$ 0,01 0,11%

 

Governança e Eficiência

A estrutura da Previ inclui um amplo conjunto de políticas e diretrizes formais voltadas à disseminação de uma conduta ética e íntegra por parte dos funcionários, bem como direcionamentos para temas como conformidade legal, gestão de riscos, ações anticorrupção e controles internos. As normas internas que regem a gestão da Previ contam com determinações que vão além das exigências dos órgãos regulamentares, como a composição paritária da Diretoria Executiva, com uma proporção igual de membros eleitos pelos associados e indicados pelo patrocinador, o Banco do Brasil – o que legalmente é exigido apenas para os Conselhos Deliberativo e Fiscal.
A sustentabilidade da Previ por meio de uma gestão eficiente e eficaz é um dos objetivos estratégicos da Entidade. Pelo terceiro ano consecutivo, não houve revisão no valor nominal do orçamento da Previ, que permanece o mesmo desde 2016. Ainda assim, a Entidade conseguiu manter os gastos em um nível abaixo do total orçado para 2018. Entre as medidas tomadas para manter o orçamento sob controle, destacam-se os primeiros impactos positivos do projeto de otimização do uso da sede, iniciado em 2017. No projeto as instalações da Previ foram reduzidas, com a devolução de cerca de 75% de um dos dois andares que a Entidade ocupava em sua sede Rio de Janeiro. Isso garantirá à Previ uma economia anual estimada de R$ 5,7 milhões em despesas administrativas.

Outra contribuição importante para o controle foi o trabalho de recuperação de créditos, feito em conjunto com escritórios de advocacia e empresas especializadas. Em 2018, o montante recuperado relativo a operações com participantes e dívidas previdenciárias foi de R$ 78 milhões – 11% acima do valor obtido em 2017. O eficaz controle orçamentário permitiu que determinadas medidas de revisão de processos internos – como o aumento da estrutura da auditoria interna, parte do Programa de Integridade – pudessem ser tomadas sem o emprego de verbas suplementares.
O resultado da Previ é construído com base nos valores da Entidade, que têm a ética como fundamento: Foco do Associado, Integridade, Transparência, Comprometimento, Integração, Inovação e Eficiência. Os Valores servem como bússola para o futuro que queremos construir, sempre com foco na missão “de pagar benefícios a todos nós, associados, de forma eficiente, segura e sustentável”.

Plano 1 em números 2018

• 113.173 associados (81.730 aposentados, 21.258 pensionistas e 10.185 na ativa)
• 18,82% de rentabilidade (mais do que o dobro da meta atuarial no ano, de 8,61%)
• R$ 189,8 bilhões em ativos
• R$ 12 bilhões pagos em benefícios

Previ Futuro em números 2018

• 85.965 associados (84.230 na ativa, 994 aposentados e 815 pensionistas)
• 14,06% de rentabilidade (acima do índice de referência de 8,61% no ano)
• R$ 15 bilhões em ativos
• 25,48 milhões pagos em benefícios