Plano 1

Matérias

11/02/2016

Compartilhamento de caronas faz bem para todos

Soluções criativas e outras ferramentas podem diminuir gastos no dia a dia

Carros trafegando com apenas um ocupante trazem grandes desvantagens para a natureza e para o dia a dia das cidades, já que cada veículo expele uma grande quantidade de poluentes e o excesso de tráfego gera engarrafamentos. O pior é pensar que muitos destes veículos estão percorrendo trechos bastante semelhantes – ou seja, alguns destes motoristas poderiam estar juntos, no mesmo carro, gerando menos poluição e tráfego. E, claro, economizando, já que o gasto coletivo com combustíveis, estacionamento e depreciação dos automóveis seria bem menor. É por isso que os serviços de carona compartilhada ganham cada vez mais espaço em vários países do mundo. E este é apenas um exemplo de como a criatividade pode ajudar a economizar.

A carona compartilhada geralmente é utilizada por pessoas que trabalham juntas e moram em locais próximos umas das outras. Motoristas se revezam: a cada dia, um dirige seu carro e leva os demais. Entretanto, nem sempre é possível encontrar colegas de trabalho que morem na mesma região. Pensando nisso, desenvolvedores criaram aplicativos para celulares ou sites que tentam reunir pessoas que vão percorrer o mesmo caminho.

Entre estes aplicativos estão o Uber, que faz grande sucesso nos Estados Unidos; o Caronetas, criado no Brasil e que oferece benefícios a quem disponibiliza a carona; e o Tripda, que se identifica como uma “comunidade de caronas”, e que tem como foco o deslocamento entre cidades diferentes.

Outro aplicativo, o WeGo Caronas, chegou recentemente ao Brasil, e está disponível na loja virtual Google Play para usuários de smartphones com sistema operacional Android. Os desenvolvedores, que criaram o projeto em Israel, garantem que é possível economizar até 40% dos gastos com transporte a partir do uso da ferramenta.

“Nosso aplicativo é recomendado para quem mora longe do trabalho ou para quem viaja com frequência. A ideia é reuinir pessoas que precisam ir para os mesmos lugares e querem gastar menos. E também queremos fazer com que o aplicativo ajude a diminuir a poluição das cidades, já que a quantidade de carros vai diminuir”, afirma o diretor executivo da empresa, Ayal Zaum.

Ideias colaborativas

O professor Lélio Braga Calhau, promotor de Justiça do Consumidor no Ministério Público de Minas Gerais, é autor do site Educação Financeira para Todos. Ele afirma que as soluções de compartilhamento, assim como outras ferramentas criativas, ajudam a economizar e a garantir a saúde financeira.

“Estive recentemente na região dos Estados Unidos conhecida como Vale do Silício, onde estão as principais empresas de tecnologia do mundo. Por lá, além do compartilhamento de carona, cresce muito a utilização de serviços como o compartilhamento de casas. Quando as pessoas viajam, em vez de ficar em hotéis, reservam quartos nas casas de outras pessoas através de sites como o Airbnb, que também está crescendo muito no Brasil. Quem está se hospedando paga mais barato, e quem está recebendo tem uma fonte extra de ganhos”, destaca.

Calhau explica que a criatividade não está apenas na descoberta de novas formas de realizar determinadas atividades. Também é criativa aquela pessoa que retoma hábitos antigos que podem ter ficado perdidos, mas que ajudam a economizar.

“Tenho visto que os parques e praças estão ficando mais cheios no Brasil. Isso é uma solução criativa: deixar de frequentar o shopping center, onde os gastos são maiores, e voltar a esses espaços. Na hora de jantar fora, também é possível ser criativo: em vez de ir para um restaurante, é melhor chamar amigos e preparar a comida em casa. Na próxima semana, outra pessoa ou outro casal no mesmo grupo é quem vai receber os demais. Assim, todos se divertem e gastam menos”, conclui.