Plano 1

Matérias

03/08/2015

Levantamento reforça importância do planejamento para a terceira idade

SPC mostra que seis em cada dez brasileiros acima dos 60 anos não têm reservas financeiras

Um levantamento divulgado recentemente pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC-Brasil) chama atenção para dados preocupantes: 57% dos idosos do Brasil não têm reservas financeiras. Os resultados da pesquisa reiteram a importância do planejamento para que essa importante etapa da vida seja vivenciada com tranquilidade.

A pesquisa ouviu 632 pessoas com mais de 60 anos nas capitais de todos os estados brasileiros e Distrito Federal. Os problemas financeiros são ainda mais intensos entre as pessoas das classes D e E: nesses grupos, 77% das pessoas idosas não têm reservas financeiras. Entre os entrevistados com baixa escolaridade, o percentual também é acima da média geral: 68%.

A economista-chefe do SPC-Brasil, Marcela Kawauti, avalia que a reserva financeira é essencial em todas as etapas da vida, mas na terceira idade é ainda mais importante. “Nesse momento, a pessoa precisa ter uma boa poupança para lidar com imprevistos de saúde e arcar com despesas com remédios, por exemplo, além, é claro, de aproveitar os prazeres dessa fase da vida”, avalia.

Independência financeira para 81% dos idosos

Apesar da ausência de reserva financeira, o levantamento também apresenta dados positivos em relação à saúde financeira das pessoas da terceira idade. Para 72% dos entrevistados, a situação financeira atual é estável. Além disso, 81% dos idosos ouvidos pelos pesquisadores garantem que não dependem de qualquer pessoa para pagar as contas.

A pesquisa também confirmou algumas tendências consideradas senso comum em relação aos idosos. Por exemplo, apenas 9% das pessoas idosas ouvidas nas capitais brasileiras afirmam que usam as ferramentas disponíveis na internet e nos celulares para realizar as operações bancárias do dia a dia.

Na hora de controlar as finanças, os participantes também mostraram que preferem as alternativas mais tradicionais. Enquanto 38% dos entrevistados fazem controle dos gastos em papel ou em planilhas, 40% deles ainda dizem controlar os gastos de cabeça.

Endividamento da população

Outro levantamento recente, esse feito pelo Serasa, mostra que a taxa de inadimplência na terceira idade no Brasil é de 12,7%, o que reforça a importância do planejamento financeiro para a chegada à terceira idade. E esse índice varia muito dentro de cada uma das cinco regiões do país. A maior taxa é a registrada na região Norte: 19,1%. Em seguida, Centro-Oeste e Nordeste (13,1%). Sudeste, com 12,3% e Sul, com 11%, fecham a lista.

A pesquisa levou em conta as informações disponibilizadas nos municípios com populações superiores a mil habitantes. Para definir os idosos endividados, os critérios foram os seguintes: pessoas com mais de 60 anos, que tenham dívidas atrasadas há mais de 90 dias e cujos valores superam R$ 200,00.

Os quatro estados com maior percentual de idosos endividados estão na região Norte: pela ordem, Amazonas (24,1%), Amapá (21,2%), Roraima (19,3%) e Pará (19,1%). No outro extremo da lista estão os idosos de Minas Gerais, com 10,3%. Entre as cidades, Manaus, capital do Amazonas, é onde está o maior índice de endividados, 28,9%. São Paulo (SP) tem a menor taxa entre os municípios: 11,3%.