Plano 1

Matérias

03/12/2015

Prepare-se! Você vai ser aposentado por mais tempo!

Novas gerações viverão mais que as anteriores e precisam estar prontas

A época em que a aposentadoria estava diretamente ligada ao fim da vida, de forma negativa, já passou. A população brasileira tem se tornado cada vez mais longeva – a expectativa de vida no país cresceu mais de três anos em uma década, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso vai fazer com que sejamos aposentados por mais tempo que as pessoas de gerações anteriores, e vivendo melhor nesse período. Os profissionais devem estar preparados para isso.

Além da preparação financeira, que é essencial e deve ser iniciada o quanto antes, essa realidade deve ser encarada como algo natural, para que a chegada ao momento da aposentadoria seja algo tranquilo, assim como o envelhecimento. A expectativa para a vida na chamada terceira idade, por exemplo, é algo que deve fazer parte do cotidiano de todos.

Segundo a psicóloga Monica Caluete, diretora científica do Centro de Psicodrama e Sociodrama (Ceps Brasil), essa mudança de paradigma é muito positiva para a sociedade brasileira, mas é preciso saber bem como usar o tempo. Ela afirma que o momento da aposentadoria deve ser planejado com antecedência para que seja aproveitado da melhor forma.

“Temos a chance de estabelecer um novo projeto de vida. Pode ser algo ligado ao trabalho, até mesmo com a perspectiva de uma nova profissão. Uma pessoa que chega aos 50 anos, hoje, tem um grande diferencial: acumula vitalidade e experiência. Mas quem se planejou financeiramente e não quer se dedicar a uma rotina laboral, pode usar esse momento para realização pessoal. Mudando de cidade, por exemplo”, afirma.

Mônica lembra que tudo isso é muito novo para a sociedade brasileira. Diferente do que se registra em países como o Japão, onde viver muito é algo comum, por aqui ainda há situações que dificultam o processo, como o preconceito. Isso, porém, está mudando. O importante é que cada um se cuide e se prepare, por exemplo, repensando os hábitos alimentares e se dedicando a atividades físicas.

A médica Nezilour Rodrigues, diretora da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), lembra que o envelhecimento é um processo comum a todos os seres humanos, mas se manifesta de maneiras diferentes em cada pessoa. Ela afirma que é preciso derrubar o preconceito aos poucos.

“Todos nós precisamos nos preocupar em envelhecer de forma ativa para garantir a preservação funcional à medida que nossa idade avança. Para isso, é importante ter hábitos de vida equilibrados, além de buscar participação em atividades sociais, conhecimento e atualização”, orienta Nezilour.

“É fundamental, no envelhecimento, alimentar projetos de vida e se engajar socialmente. A realização de sonhos independe da fase da vida em que estamos. E fazer o que gosta é fundamental para superar ou enfrentar as dificuldades. E pode ser a chave até mesmo para evitar doenças como a depressão”, conclui.