PREVI Futuro

Matérias

16/10/2015

Gastos na ponta do lápis

Manter o controle das contas é fundamental

Manter o planejamento é essencial para a saúde e tranquilidade financeira da família e para ter controle sobre a real situação dos gastos do dia a dia, independentemente de serem de grande ou pequeno valor. Por isso, anotar as entradas e saídas de dinheiro é uma boa saída.

O consultor financeiro Darco Sousa, que trabalha como palestrante há mais de 15 anos, afirma que não é possível fazer uma boa gestão dos gastos sem buscar manter o controle. Por isso, reforça a importância do uso de instrumentos como agendas, planilhas ou aplicativos para telefones celulares.

“Para quem é organizado, até mesmo uma folha de papel pode ser suficiente para garantir a organização. Mas é preciso usar outros instrumentos de forma coordenada. As agendas, por exemplo, são excelentes para lembrar de compromissos. As planilhas ajudam muito a calcular os valores de gastos e receitas a longo prazo. Já os aplicativos permitem o lançamento dos valores no momento em que a entrada ou o gasto acontece. Assim, a pessoa evita se esquecer”, aponta.

Darco, porém, afirma que é preciso agir de forma equilibrada, evitando se tornar uma pessoa extremamente metódica. Para o consultor, quem age desse modo pode perder muito tempo tentando ser eficiente e, assim, se tornar pouco eficaz.

“É preciso ser organizado. Em geral as pessoas que não têm uma boa organização financeira podem até saber quanto ganham, mas nunca sabem o quanto gastam ou então não percebem, e quando veem, já gastaram mais que podiam”, completa.

Interpretar e agir

Para o também consultor Rogério Nakata, que atua como planejador financeiro pessoal e familiar no interior de São Paulo, o registro de todo dinheiro que é recebido e que é gasto é uma das melhores maneiras para garantir o sucesso da organização financeira pessoal.

Assim como Darco Sousa, ele ressalta a praticidade proporcionada pelos aplicativos, cada vez mais comuns nos dias de hoje. Para ele, é preciso aproveitar o potencial dessas ferramentas, não só na organização financeira como também em outras áreas. Para isso, porém, é preciso assumir consigo mesmo o compromisso de não deixar de assinalar todos os dados e agir de forma adequada, a partir dos números que registrar.

“Não adianta simplesmente anotar tudo no aplicativo, ou em planilhas, se a pessoa não interpretar aqueles dados e agir de acordo. Uma ferramenta assim só vai funcionar se a pessoa entender que precisa adequar seus gastos ao dinheiro que ganha”, alerta.

“Quando alguém interpreta os números, vai saber como agir para que o volume de dinheiro gasto não seja superior àquele que é recebido. Dá para dizer que o hábito de anotar é um primeiro passo. É importante, mas é só o primeiro. É essencial dar o próximo passo, entender aqueles dados e não deixar de agir de acordo com o que está anotado”, conclui Nakata.