PREVI Futuro

Matérias

30/01/2015

Planejando a aposentadoria

Os planos podem até mudar, o essencial é manter a disciplina e o equilíbrio entre receitas, despesas e investimentos para realizar os sonhos.

Consultores de carreira e educadores financeiros são praticamente unânimes ao dizer que o planejamento é essencial para garantir uma aposentadoria tranquila. É preciso ter em mente desde cedo os objetivos para essa etapa da vida. Mas, e se os objetivos mudarem? O que fazer?

O consultor financeiro Jusivaldo Santos afirma que os profissionais devem ficar tranquilos e não devem hesitar quando sentirem vontade ou necessidade de mudar suas escolhas e decisões durante o percurso rumo à aposentadoria. Para ele, o importante é saber criar as oportunidades e administrá-las da melhor forma.

O consultor ressalta a necessidade de manter disciplina e equilíbrio entre receitas, despesas e investimentos para realizar os sonhos e cumprir os objetivos – sejam eles mantidos ou alterados ao longo dos anos.

“Precisamos ter em mente as diferentes necessidades de capital nos vários ciclos da vida, sem esquecer de reservas de contingência para atender gastos imprevistos, para que eles não tenham de ser cobertos por empréstimos com juros altos”, destaca.

A psicóloga clínica Renata Sosvianin destaca que as mudanças de rumo podem acontecer durante o planejamento para a aposentadoria e o essencial é saber lidar com elas. O importante é garantir que esse seja um momento de tranquilidade, nem que para isso os planos tenham de ser alterados.

“É recomendável que a pessoa se realize, mantenha uma rotina de convívio social, sinta-se representativa para a sociedade a qual pertence. E isso pode ser a partir de trabalhos voluntários, consultorias, atividades profissionais, entre outras opções”, avalia.

Para Renata, cada pessoa deve ter tranquilidade na hora de tomar suas decisões individuais quanto ao futuro, sem se preocupar com as escolhas dos demais. A psicóloga destaca, ainda, que é inevitável que algumas pessoas se arrependam de suas decisões, mas isso não deve ser encarado como um tabu.

“Tudo vai depender de como vão lidar com isto. A aposentadoria é um momento de contemplar a maturidade, que é uma fase da vida onde as coisas não provocam a ansiedade que provocavam no pico da atividade profissional”, encerra.
 

Para ler outras matérias sobre educação financeira e previdenciária, clique aqui e acesse a seção do Mais PREVI.