LogoLogo
  • INICIO
  • FALE CONOSCO
  • HISTÓRICO DA REVISTA
MDN
Seguridade

O CICLO DE VIDA CHEGOU

Quanto tempo falta para você se aposentar? Conheça os novos Perfis de Investimento da Previ que se ajustam à sua vida e à sua carreira e podem influenciar no seu saldo de conta

leia o artigo completo

A vida é feita de ciclos. Infância, juventude, vida adulta, velhice, e cada uma dessas etapas é marcada por projetos, demandas, necessidades e comportamentos específicos. E não é diferente com os investimentos pessoais, a carreira profissional e o planejamento da sua aposentadoria.

Geralmente, seguimos um padrão: poupamos, assumimos riscos, construímos patrimônio, fazemos seguro de vida e planos de previdência e, com o passar do tempo, assumimos uma atitude mais conservadora para preservar o nosso patrimônio. Por conta dessa lógica e da diversidade de comportamentos adotados ao longo dessa trajetória, a Previ percebeu a importância e a necessidade de oferecer para você, participante do Previ Futuro, novas opções de Perfis de Investimento. Então, que tal entender melhor cada um deles e fazer a melhor escolha para o seu planejamento de aposentadoria?

Três Ciclos à sua disposição

Estamos falando da criação de três novos perfis: Ciclo de Vida 2030, 2040 e 2050. E a escolha está diretamente ligada à data-alvo de aposentaria do participante. Então, como funciona?

O Ciclo de Vida 2030 é indicado para quem pretende se aposentar de 2026 a 2035. No Ciclo 2040, o período é de 2036 a 2045. E no Ciclo 2050, de 2046 em diante. Por isso, quem escolhe um desses novos perfis deve levar em consideração o momento estimado para se aposentar.

A partir da sua opção, a alocação das suas reservas passa a se ajustar, ao longo do tempo, de acordo com a data-alvo do perfil escolhido.
 

A lógica aqui é diminuir a exposição aos investimentos de risco gradualmente. Mas, por quê? Bem, quando ainda falta muito para se aposentar, é possível se arriscar mais para buscar maior rentabilidade. Pode até haver perdas no caminho, mas você terá tempo para se recuperar. No entanto, à medida que a aposentadoria se aproxima, o jogo fica mais arriscado porque o participante tem menos tempo hábil para se recuperar das perdas na carteira. Nesse caso, os investimentos em renda variável diminuem de forma suave e gradual até chegar ao mínimo recomendado pela Política de Investimentos da Previ.
 

Traduzindo: na prática, isso quer dizer que os investimentos em renda variável serão reduzidos ao longo dos anos, ou seja, substituídos por investimentos de menor risco até chegar ao nível compatível com o período esperado para sua aposentadoria. Aquele período que você mesmo estimou ao escolher o seu Ciclo de Vida.

Dez mil simulações

Como você pode perceber, os Ciclos de Vida são Perfis de Investimento que se ajustam no ‘piloto automático’, de acordo com o estágio de carreira em que o associado se encontra. Mas, será que esse ‘piloto automático’ foi bem treinado? Com certeza! Ele foi programado com base na simulação de dez mil cenários de investimentos analisados pela Previ.
 

Como assim, você deve estar se perguntando? Esses cenários são gerados em um programa estatístico e levam em conta variáveis como o retorno anualizado das carteiras e a volatilidade do mercado (variação entre as rentabilidades). É claro que a mudança na forma de distribuir os recursos é feita sempre de acordo com a Política de Investimentos vigente.

Venda na alta

Por exemplo: hoje, se um associado escolher o Ciclo de Vida 2050 passará a ter um perfil com a alocação de 40% a 60% do seu saldo em renda variável. Com o tempo, esse segmento de investimento será reduzido a zero nos anos mais próximos à data-alvo do perfil (2050). Entendeu?
 

É bom lembrar que essa redução na renda variável é feita sempre de maneira gradual e respeitando intervalos de alocação indicados na Política de Investimentos. Ou seja, ela é feita ao longo dos anos, dentro de uma janela de tempo suficiente para aproveitar as melhores oportunidades de venda dos ativos e reduzir o risco para o associado. Assim, a Previ não é obrigada a vender ativos na baixa para reduzir a renda variável até o nível previsto.

A escolha é sua

Outro detalhe importante: a adesão aos perfis Ciclo de Vida não é obrigatória, nem permanente. Afinal, a vida muda e a gente também pode mudar de opinião. Por isso, o participante pode migrar de perfil sempre que achar conveniente, respeitada a carência. As migrações podem ser feitas para qualquer um dos sete perfis disponíveis (Agressivo, Arrojado, Moderado, Conservador, Ciclo de Vida 2030, Ciclo de Vida 2040 e Ciclo de Vida 2050).
 

É sempre bom lembrar que, além do tempo que falta para sua aposentadoria, a escolha do perfil deve levar em consideração outros fatores, tais como: carência de 12 meses para efetuar nova migração, análise do potencial de risco/retorno de cada perfil e seu perfil de investidor.
 

Além disso, a data prevista da sua aposentadoria é apenas uma indicação para a escolha por um dos perfis Ciclo de Vida. Você pode mudar de ideia sempre que quiser, e não precisa obrigatoriamente se aposentar na janela de tempo indicada.

A migração começou

Você já pode escolher um dos perfis Ciclo de Vida.

Para conhecer melhor as opções disponíveis e fazer a sua escolha, o participante poderá mudar livremente a sua opção de Perfil de Investimento, até 19 de dezembro deste ano, independentemente de quando fez a alteração. O último perfil escolhido até o final desse prazo é o que será considerado.

Mas, fique de olho! Após essa data, volta a valer a carência de 12 meses para uma nova alteração de perfil. É importante também ficar atento ao fato de que as migrações entre perfis demandam a assinatura de um novo termo de autorização, mesmo que já tenha sido assinado anteriormente, além do preenchimento de uma nova Avaliação do Perfil do Investidor (API), que agora terá validade de 36 meses. Tudo isso pode ser feito eletronicamente no site ou no aplicativo Previ.

 

Perfis de Investimento, o que são?

Os Perfis de Investimento são uma ferramenta criada para dar mais opções de estratégias previdenciárias aos associados do Previ Futuro. Lançados há 10 anos, eles permitem que você busque o melhor ponto de equilíbrio entre o risco e o retorno dos investimentos, de acordo com seus objetivos.
 

Cada Perfil de Investimento tem uma alocação diferente na renda variável, definida tanto pela diferença na exposição a ativos mais arriscados quanto pela data alvo do participante para a solicitação de benefício programado. Essas alocações seguem a Política de Investimentos da Previ vigente.

Você sabia...

que o modelo do Ciclo de Vida é adotado por grandes instituições de previdência internacionais, como a Calpers, considerada uma das maiores entidades de previdência do planeta?

Previ Responde: Pode haver novos Ciclos de Vida? No longo prazo, novos Ciclos de Vida podem ser criados para atender à evolução do Plano e ao perfil demográfico dos associados.

Comentários

(0)

Enviar Comentário

Nome:

E-mail:

Comentários:

Restam 450 caracteres
Os comentários são moderados e liberados posteriormente pela Previ

Temas

Gestão

1 artigo

Seguridade

4 artigos

Seu Bolso

1 artigo

Bem-estar

1 artigo