LogoLogo
  • INICIO
  • FALE CONOSCO
  • HISTÓRICO DA REVISTA
MDN
Gestão

AS QUATRO DIMENSÕES DO INVESTIMENTO RESPONSÁVEL

Além das boas práticas Ambientais, Sociais e de Governança, a Previ inclui a Integridade como critério de escolha de investimentos

leia o artigo completo

Promover um ambiente sustentável de negócios é uma preocupação cada vez mais presente nas organizações. Mais ainda quando falamos de uma entidade de previdência com cerca de 200 mil associados e aproximadamente R$ 215 bilhões em patrimônio nos seus planos. Afinal, garantir que esse patrimônio seja alocado em investimentos capazes de gerar valor no longo prazo de forma sustentável é fundamental para que a Previ cumpra sua missão de pagar benefícios a todos nós, associados, de maneira eficiente, segura e sustentável.


Por isso mesmo, a Previ busca um processo contínuo para aprimorar seus critérios de escolha de investimentos. É uma trajetória que vem se intensificando nas últimas duas décadas (ver Linha do Tempo) e que foi orientada com base em diretrizes globais, que se traduzem na sigla ASG. Estamos falando de responsabilidade Ambiental, Social e Governança Corporativa. Mas a Previ vai além, integrando mais uma letra à sigla: a letra I, de Integridade.
 

Integridade

A Integridade trata do compromisso com o comportamento ético e com a prevenção e o combate à corrupção. Tudo isso para fortalecer ainda mais uma estrutura de governança de investimentos que já era bastante sólida. A dimensão da Integridade inclui transparência, controles internos eficientes e rigorosos, compromisso da alta gestão com os princípios éticos que precisam ser observados no dia a dia das empresas investidas e da própria Previ.


“O Programa de Integridade da Previ está sendo aperfeiçoado pela terceira vez, e é baseado nas melhores práticas nacionais e internacionais”, explica José Maurício Pereira Coelho, presidente da Previ. “Um dos objetivos é reforçar os pilares que promovem um olhar para fora da Entidade. Como investidora institucional, a Previ quer incentivar em seus públicos de interesse e no mercado a adoção de melhores práticas a partir de diretrizes relacionadas à ética e à integridade, que sempre devem ser observadas na gestão dos investimentos”, acrescenta.


Esse envolvimento com os princípios ASGI se traduz na adesão a iniciativas como o Pacto Global da ONU, que busca engajar empresas e organizações privadas em princípios de responsabilidade social corporativa e sustentabilidade, e dar apoio à luta da sociedade para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ou na participação em eventos como a 2ª Cúpula Anual da ASG e Clima, em Nova York, no ano passado, que reuniu empresas, fundos de pensão, fundos de investimento e grandes instituições internacionais, responsáveis por mais de US$ 10 trilhões em ativos, para discutir os rumos do investimento sustentável no mundo.
 

Ações práticas

Todo o esforço não se limita aos debates. Ele também se faz presente em ações diretas, como a adoção da energia solar para abastecer a sede da Previ. Em outubro de 2019, a Entidade assinou contrato para locação de uma usina solar fotovoltaica com capacidade para gerar 1,6 MWh/ano, suficiente para suprir todo o consumo da sede.


O contrato terá duração de 15 anos. A nova fonte de energia renovável fará com que 1,7 mil toneladas de CO2 deixem de ser emitidos na atmosfera. Além de ambientalmente sustentável, a adoção da energia solar vai representar uma redução de 27% em relação ao valor médio pago pela Previ à concessionária de energia elétrica.
 

Mas qual é o impacto do ASGI nas decisões de investimento da Previ?

Na prática, essas quatro dimensões são incorporadas como critérios de decisão desde o primeiro momento, quando são elaboradas as Políticas de Investimentos dos planos. As Políticas, que são as diretrizes que norteiam a aplicação dos recursos em um horizonte de sete anos, recomendam a observação dos princípios de ASGI na análise, na seleção, no monitoramento e na gestão dos ativos. Ou seja: devem-se privilegiar investimentos que se destaquem pela adoção das melhores práticas de governança corporativa e por ações ambientais, sociais e de integridade.  

Melhor Shopping

Um bom exemplo prático da adesão a esses critérios são os investimentos da Previ no segmento imobiliário. Dos 22 imóveis comerciais na carteira imobiliária, 10 possuem certificações de sustentabilidade. Em termos de valor, esses imóveis certificados correspondem a 82% do total da carteira. São empreendimentos como o Eco Berrini e a Torre Matarazzo, em São Paulo, com os selos Leed Platinum e Leed Gold, respectivamente. Ou o edifício Candelária Corporate, no Rio de Janeiro, certificado com o Procel Edifica. Sem falar no Centro Empresarial Mourisco, onde fica a sede da Previ, também no Rio de Janeiro, com o selo ambiental ISO 14001.


Renato Proença, diretor de participações da Previ, observa que os selos de sustentabilidade obtidos pelos empreendimentos da carteira da Entidade são um atestado do compromisso da Previ com o monitoramento e o controle de recursos naturais em busca da perenidade do planeta. “Debater melhores práticas de sustentabilidade e racionalização de recursos ambientais é uma importante iniciativa nossa para cumprir também a Agenda 30 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), como debatemos também em nosso Fórum de Sustentabilidade, no final do ano passado”, destaca.

Um dos exemplos mais recentes de imóvel certificado é o Shopping Parque da Cidade, em São Paulo, o primeiro life center do Brasil, que possui um novo conceito de centro comercial que atende a todos os requisitos de sustentabilidade. Equipado para racionalizar o uso de recursos naturais, elevar a segurança dos colaboradores e o conforto dos usuários, o empreendimento conta com telhado verde, recolhimento de resíduos a vácuo e sistemas de automação de última geração, com o objetivo de priorizar a experiência, o consumo consciente, a diversidade e a inclusão. Trata-se do shopping do futuro. Não por acaso, foi premiado com o GRI Awards 2019 na categoria de Melhor Projeto de Shopping Center no Brasil.


Renato conta que, desde a fase inicial do projeto, a ideia era ter mais do que apenas um shopping center. “Queríamos um life center, que seria um ‘centro de vida’, numa tradução simples. Como na Previ lidamos com vidas, isso é muito forte para a gente. Cada parceiro nosso no Shopping Parque da Cidade comunga dessa ideia sustentável. Não queremos que as pessoas apenas frequentem esse espaço. Queremos que elas convivam e que o Shopping Parque da Cidade seja de fato um life center.”

Conceito ativo


Além das Políticas de Investimentos, a aplicação dos critérios de ASGI na alocação dos recursos dos planos se dá por meio da observância de outros documentos, como a Política de Governança de Investimentos, a Política de Sustentabilidade e Melhores Práticas de ASGI e ainda pelo Guia Previ de Melhores Práticas de ASGI em Investimentos. Os critérios são observados em todas as classes de ativos, desde os investimentos no segmento imobiliário até a participação em empresas e a compra de títulos de empresas privadas, além da seleção de gestores de fundos.

A avaliação das empresas investidas passa por uma análise de governança corporativa desenvolvida pela própria Previ, que examina a qualidade do ativo em termos de Transparência, Divulgação e Responsabilidade; Acionistas; Governança, Controle e Integridade; Órgãos de Governança e, por fim, Responsabilidade Socioambiental. Além disso, as práticas de ASGI passam a fazer parte também do processo de escolha dos gestores de fundos de investimento. Ou seja: a gestão é realizada preferencialmente com quem atende a critérios de boas práticas ambientais, sociais, de governança e de integridade.

“Os mercados estão refletindo a mudança de comportamento da humanidade. Estamos mais atentos às questões sociais, ambientais, de governança e integridade, tanto no mundo quanto no Brasil. A Previ já é precursora em ASGI há muitos anos e queremos continuar a ser relevantes. A direção é, cada vez mais, fazer investimentos levando em consideração esses critérios. No Brasil ainda existem poucos ativos desse tipo, mas um potencial enorme para criá-los", explica explica Marcelo Wagner, diretor de Investimentos da Previ.


"Outra forma interessante de operacionalizar investimentos ASGI é utilizar a estratégia de investimento no exterior como alavanca. Além de aumentar a diversificação, esse tipo de movimento também cria um canal de conhecimento, em que o mercado pode aprender com quem já opera esse tipo de ativo há mais tempo. Ademais, se nos comprometemos a auxiliar nossos participantes a formar suas riquezas previdenciárias, precisamos também investir numa sociedade melhor no futuro, quando eles estarão usufruindo de seus benefícios. Este é maior sentido do ASGI”, conclui o diretor.

Sustentabilidade em participações

Com isso, o desempenho financeiro deixou de ser o único critério para avaliação do valor de uma companhia. Investidores e sociedade estão cada vez mais atentos à forma como as companhias lidam com as questões ASGI.


Exemplos de iniciativas de sucesso praticados por empresas participadas da Previ vão desde o investimento na diversificação e na transição da geração das fontes de energia, como a energia fotovoltaica e a eólica, até uma geração de resíduos mais consciente e sustentável. Essas são soluções reais que aumentam eficiência e produtividade e reduzem o impacto ambiental.


O Instituto Invepar, por exemplo, patrocina e desenvolve projetos sociais que estreitam as relações com as comunidades e movem as pessoas rumo à sustentabilidade. Suas ações fortalecem valores e possibilitam o crescimento e o desenvolvimento dessas comunidades.

Adotar práticas de investimento responsável auxilia a mitigar o risco dos critérios ASGI, traz um efeito positivo no desempenho financeiro dos investimentos e promove o cumprimento do dever fiduciário. A Previ, ao incorporar essas questões nos seus processos de investimento, tem papel de destaque como indutora de melhores práticas socioambientais, de governança e de integridade nas suas empresas investidas.
 

Papel Indutor

Ao assumir essas práticas, a Previ conquista um papel importante no mercado brasileiro. Por sua posição de liderança entre os grandes investidores institucionais, ela acaba por induzir as empresas brasileiras a adotar boas práticas de ASGI e a melhorar os padrões de governança corporativa. Isso fortalece o mercado, melhora a qualidade dos ativos disponíveis e cria um ambiente de negócios mais sadio no país, o que é ótimo para uma entidade que opera em uma perspectiva de longo prazo.


A opção pela responsabilidade ambiental, social e de governança, assim como pelas práticas voltadas à integridade, é um caminho sem volta. A pressão da sociedade por essas práticas e as mudanças que elas exigem das empresas tornam isso inevitável. Ao mesmo tempo, investimentos que respeitem os critérios de ASGI vêm se provando mais seguros e rentáveis em um horizonte de tempo mais longo. Por isso, o investimento responsável definitivamente não é um custo extra. Ele é uma oportunidade que pode fazer a diferença não apenas para a Previ, mas para toda a sociedade.

“A busca por rentabilidade precisa estar em sintonia com a necessidade de manter e desenvolver estratégias que tornem os negócios cada vez mais perenes e sustentáveis”, conclui José Maurício.

Uma nova Política para a sustentabilidade
 

A Política de Responsabilidade Socioambiental (RSA), editada em 2009, foi revista no ano passado, e passa a se chamar Política de Sustentabilidade e Melhores Práticas ASGI, em referência aos aspectos ambientais, sociais, de governança e de integridade. A nova política tem como base as melhores práticas de mercado e segue um modelo mais enxuto e principiológico, que passou pela análise de todas as gerências da Previ e também de especialistas de mercado nas questões ASGI.


A Política, que está disponível para consulta no site da Previ, define o conjunto de diretrizes observadas nas ações da Entidade para conservar a perenidade e a eficiência de sua atuação, alinhada à sustentabilidade dos negócios e da sociedade, e tem como objetivo direcionar a atuação da Previ quanto às melhores práticas de sustentabilidade em todas as suas atividades, com destaque para o investimento responsável.


O texto recebeu contribuições da Diretoria de Riscos e da Diretoria de Estratégia Organizacional do Banco do Brasil, além de instituições como o CDP (Carbon Disclosure Project), organização que apoia as empresas a medirem e divulgarem seus impactos ambientais, o PRI (Princípios para o Investimento Responsável), a Bolsa de Valores de São Paulo, B3, que possui o ISE, (Índice de Sustentabilidade Empresarial), o GRI (Global Reporting Initiative), iniciativa que desenvolveu diretrizes norteadoras para construção de relatórios de sustentabilidade e financeiros, entre outros. 

  • Saiba como a Previ aplica as iniciativas de ASGI nos seus investimentos

Conheça as ações de ASGI realizadas pela Previ

Shopping do futuro

O Shopping Parque da Cidade, em São Paulo, é considerado o primeiro life center do Brasil, com um novo conceito de centro comercial que atende a todos os requisitos de sustentabilidade.

Comentários

(2)
  • Previ 

    Eduardo, mesmo durante a crise, a Previ continua a trabalhar para garantir o pagamento de benefícios aos associados e, apesar dos desafios do cenário atual, segue firme e sólida na sua missão. Você pode conferir o posicionamento da Diretoria Executiva em relação a todo esse momento que estamos vivendo na matéria "Vai passar", publicada no site.
  • Eduardo jose 

    Qual a situação da Previ nesta calamidade???

Enviar Comentário

Nome:

E-mail:

Comentários:

Restam 450 caracteres
Os comentários são moderados e liberados posteriormente pela Previ

Temas

Gestão

4 artigos

Seguridade

4 artigos

Relacionamento

2 artigos

Seu Bolso

3 artigos

Bem-estar

2 artigos