enviar
Sua opinião

Dê sua opinião sobre a Revista. Ela poderá ser divulgada aqui e ainda se transformar em reportagem.

Indique seu livro

A Revista divulga livros de autoria dos participantes. Envie algumas informações pra gente.

Edição 202 Junho/2019

gestão

Como os talentos da Previ são escolhidos

As seleções para o corpo técnico prezam por competências e valores essenciais para a Previ

As seleções na Previ são pautadas pela busca de pessoas com perfil condizente com os valores corporativos da Entidade e também de profissionais que estejam mais alinhados às competências necessárias para o exercício do cargo, de modo a viabilizar a sustentabilidade dos negócios da Previ a longo prazo.

A análise dos candidatos pela perspectiva de competências reflete a sintonia com os princípios e os processos de gestão de pessoas praticados pelo patrocinador Banco do Brasil. A escolha dos candidatos se dá de forma transparente e imparcial, de acordo com critérios específicos definidos previamente em edital ou nos normativos internos.

Processo de recrutamento e seleção

O quadro de funcionários da Previ é composto por profissionais oriundos do Banco do Brasil (cedidos) ou provenientes do mercado (quadro próprio). Para ambos os casos, a entrada na Entidade ocorre por meio de processo seletivo, no qual a área demandante da vaga, em conjunto com a gerência responsável pela gestão de pessoas, define o perfil desejado, as etapas do processo e as atividades a serem realizadas. Após essas definições, é criado um documento de divulgação com regras claras e definidas.

selec-02.jpg

A partir desse diálogo entre as áreas, é feita a parametrização das oportunidades destinadas aos funcionários do BB. Esse procedimento ocorre por meio do sistema TAO, que possibilita tanto a inscrição daqueles que atendem aos critérios obrigatórios (como ter realizado alguns cursos da Trilha Ética, além da Trilha de Educação Previdenciária da Previ) quanto a atribuição de pontuação para os candidatos em função da sua formação e experiências no Banco. Logo, os mais bem pontuados nessa etapa de avaliação curricular são aqueles que atendem aos requisitos definidos no documento de divulgação.

No caso de candidatos ao quadro próprio, a inscrição nas oportunidades acontece por meio de sistema próprio da Previ (processo seletivo externo), já que não existe vínculo direto dos profissionais com o BB. Assim como no caso dos cedidos, a vaga é divulgada no site da Previ, juntamente com o edital, que informa qual será a quantidade de classificados para a próxima etapa: a avaliação técnico-comportamental.

A avaliação técnico-comportamental prevê a participação do candidato em atividades situacionais, como dinâmicas e entrevistas que visam identificar a manifestação das competências que serão imprescindíveis na atuação profissional. A banca avaliadora é composta por gestores da área demandante, funcionários da área de gestão de pessoas e um psicólogo externo. Os candidatos que demonstram maior proximidade com o perfil de competências desejável passam a compor o Banco de Talentos, que, em geral, tem validade de um ano e pode ser prorrogado por igual período.

Outras formas de provimento de vagas

Os processos seletivos são utilizados para captação de talentos e ingresso na Previ. A partir do momento em que essas pessoas passam a integrar o quadro funcional, existem outras formas de movimentação e provimento de vagas. Os assistentes técnicos, analistas, gerentes de núcleo e cargos correlatos podem se movimentar de forma lateral (mudança de gerência) ou vertical (ascensão). Dessa forma, os funcionários têm a possibilidade de mudar sua área de atuação dentro da própria Previ ou ascender profissionalmente.

No caso dos cargos técnicos, caso a área demandante da vaga defina por buscar profissionais do BB (além daqueles que já são da Previ), inicia-se um processo seletivo do tipo misto. Se a área demandante optar por utilizar somente os talentos já existentes na casa, nesse caso ela divulga a vaga na intranet da Previ, e os candidatos interessados se inscrevem nas oportunidades permanentes por intermédio do sistema TAO.

No nível gerencial, o preenchimento de vaga para gerente de núcleo pode ocorrer por processo seletivo misto ou por movimentação interna (lateral ou vertical), ambas por meio de inscrição nas oportunidades permanentes do sistema TAO. Já a concorrência para o cargo de gerente executivo pode acontecer de quatro formas distintas: movimentação lateral, processo seletivo misto, Programa de Gestão de Talentos e Sucessão da Previ ou uso de banco de talentos vigente do Programa de Ascensão Profissional de Executivos do BB.

Existe ainda outra forma de escolha de profissionais na Previ: o Livre Provimento. Ele é utilizado para preencher cargos de confiança como: auditor-chefe, chefe de gabinete da presidência, assessor da Diretoria e gerente de núcleo da secretaria-executiva dos Conselhos. São funções em que é possível a indicação de funcionário oriundo do BB para cargo de gestão, sem necessidade de processo seletivo, mas em conformidade com as normas internas. Os membros da Diretoria Executiva, dos Conselhos Deliberativo, Fiscal e Consultivos ingressam na Previ conforme regras estabelecidas no estatuto da Entidade.

Metodologia bem avaliada

Pesquisas feitas anonimamente com os participantes, ao final de todas as etapas dos processos seletivos, apontam para uma aprovação majoritária da metodologia adotada. Só este ano já foram realizados recrutamentos para os cargos de técnico de informática, analista I de TI/Desenvolvimento, analista I de TI/Infraestrutura, advogado I e assistente técnico.

selec-03.jpg

De acordo com dados divulgados pela gerência responsável pela gestão de pessoas, nos últimos cinco anos, houve uma média de 43 posses por ano na Previ, considerando funcionários oriundos do BB (cedidos) e de mercado (QP), como detalhado no quadro abaixo:

Previ202-Gestao-Talentos Previ- Media de contratacoes-p.18.jpg

Neste mesmo período, em média, mais de mil pessoas por ano se inscreveram em processos seletivos da Previ, considerando funcionários do Banco do Brasil (para cargos cedidos) e de mercado (para cargos do quadro próprio), o que demonstra a grande atratividade, o reconhecimento da excelência e de que a Previ é um ótimo lugar para se trabalhar e desenvolver na carreira.

Fernanda Araújo dos Santos Pinheiro, 39 anos, é uma das funcionárias cedidas do BB que vem evoluindo na carreira por meio da concorrência para as vagas disponíveis. Fernanda era atendente na Central de Atendimento BB, em São Paulo, quando concorreu ao cargo de técnico de informática, no ano passado. Formada em Tecnologia da Informação, ela conseguiu reingressar na sua área de formação com a aprovação nesta primeira seleção.

“Participei do processo seletivo para a área de TI por ser uma oportunidade efetiva de trabalhar na área em que me formei. Ao final, fiquei muito satisfeita com o modo como o processo foi conduzido. Todas as etapas, incluindo o ranqueamento pelo TAO, aconteceram em aproximadamente 30 dias, de forma justa e imparcial. Concorri com funcionários que já trabalhavam em outras áreas da Previ e, mesmo assim, me senti muito segura em todas as etapas”, explicou.

Os elogios de Fernanda à seleção incluem a transparência do processo e a possibilidade de se candidatar a uma oportunidade em outro estado. “Achei o método de escolha muito justo desde a divulgação, que foi ampla, e permitiu que eu, que era atendente na Central de Atendimento do BB em São Paulo, pudesse concorrer a uma vaga com alto grau de interesse no Rio de Janeiro”, afirmou.

Fernanda explica que, após o cumprimento dos requisitos definidos pelo BB, foi convocada rapidamente para tomar posse no cargo de técnico de informática, em fevereiro de 2018. Determinada a investir na construção da sua carreira, ela continua aproveitando todas as possibilidades que surgem em linha com seu perfil para seguir evoluindo profissionalmente. “Recentemente, me candidatei ao cargo de analista I de Infraestrutura e também fui bem-sucedida. O processo foi igualmente bem dividido, bem divulgado e bem gerenciado. Fui aprovada e estou esperando ansiosamente para ser chamada para este novo desafio”, afirma.

Outro candidato que participou de processo seletivo e que aprovou o método usado pela Previ é Derick André Marcelino Vicente dos Santos, de 33 anos, há oito no BB. Decidido a ascender profissionalmente e atuar na área em que possui formação, o ex-assistente operacional Private se inscreveu na seleção para técnico de informática, no início deste ano.

 

selec-04.jpg

Derick contou que a primeira etapa foi uma análise do seu currículo por meio do TAO. Depois que foi classificado no ranqueamento do sistema, ele preencheu um inventário profissional e na etapa seguinte participou de atividades comportamentais, técnicas e entrevista. Ao final, um sentimento de alegria e orgulho: a divulgação do resultado mostrou que Derick estava apto a compor o banco de talentos para o cargo.

Ele destaca ainda a rapidez e transparência do processo, cuja primeira informação foi divulgada em 7 de janeiro, na Agência de Notícias do Banco, e o resultado final anunciado pouco tempo depois, em 20 de fevereiro. “Foi uma seleção bastante ágil e transparente, que durou cerca de 45 dias apenas. Isso é muito bom para quem se candidata porque evita a ansiedade com a demora da divulgação do resultado”, revelou Derick.

O novo técnico de informática da Previ fez uma avaliação bastante positiva de todo o recrutamento. “O processo inteiro foi conduzido com excelência, principalmente se pensarmos na complexidade que é selecionar cinco pessoas num universo de 120 candidatos espalhados pelo Brasil, com o cuidado de informar todas as etapas do processo, avaliar currículos e perfis. Tive a sensação de que todas as fases foram pensadas para dar todo o suporte necessário aos participantes: tirando dúvidas, respondendo perguntas, nos deixando confortáveis para que pudessem nos avaliar e escolher realmente os candidatos mais preparados”, explicou.

Durante a seleção, um fator chamou a atenção de Derick: o cuidado dos recrutadores em todas as fases. “O grupo que estava fazendo a seleção se preocupou com detalhes importantíssimos para escolher realmente os melhores candidatos, avaliando minuciosamente desde o comportamento dos candidatos em grupo, passando por uma análise curricular detalhada e testando os conhecimentos gerais e específicos para o cargo. Apesar do nervosismo de estar sendo avaliado, tive a sensação de que estavam realmente tentando extrair o melhor de cada um de nós”.

Os depoimentos e avaliações anônimas dos candidatos reforçam que a Previ está no caminho certo, ao zelar por valores éticos ao longo dos seus processos de recrutamento, seleção e provimento de vagas. Assumir o cumprimento da missão de “garantir o pagamento de benefícios a todos nós, associados, de forma eficiente, segura e sustentável” traduz a necessidade constante de se ter um corpo técnico alicerçado em valores corporativos como integridade e transparência, e na mesma medida qualificado profissional e comportamentalmente, desde o seu ingresso na Previ.
 

Mais Vistos

INDEX

Fale com a Redação