PREVI

Sala do Participante

Medicina

24/11/2016

Problemas na mandíbula

Disfunção da Articulação Temporomandibular. O nome é complicado, mas fala sobre algo que atinge cerca de 90% das pessoas em todo o mundo.  A expressão Articulação Temporomandibular (ATM), na verdade, se refere a duas articulações que ligam a mandíbula ao crânio e são responsáveis pelos movimentos da boca. As disfunções podem ser as causas, inclusive, das dores de cabeça.

Fatores como o estresse, posicionamento dos dentes, rigidez da articulação, histórico de pequenos acidentes na infância e até mesmo o hábito de mascar chicletes podem causar as disfunções. As consequências, dependendo do caso, podem ser grandes.  Além das dores de cabeça, há estalos ao abrir e fechar a boca, zumbido no ouvido, dores na face e dificuldade para abrir a boca.

Segundo o cirurgião dentista José Flávio Torezan, a maioria dos casos de disfunção nas ATMs pode ser corrigida sem a necessidade de cirurgias. Em 80% dos casos, segundo ele, as soluções passam por aparelhos ortodônticos, utilização de placas de resina que ajudam a relaxar a musculatura e procedimentos como fisioterapia, pilates e até psicoterapia.

A cirurgia mais comum para diagnósticos mais graves é chamada de artrocentese. Ela é feita a partir de uma pequena perfuração junto ao ouvido e pode ser realizada com anestesia local. No procedimento são removidas inflamações no líquido que envolve a articulação. Outros procedimentos podem ser feitos até mesmo sem cortes, através dos artroscópios, agulhas que penetram na articulação.

“Os resultados geralmente são satisfatórios, mas os pacientes devem seguir todas as orientações pós-operatórias feitas pelo cirurgião-dentista. Em alguns casos há cirurgias mais complexas, que envolvem até a troca das articulações por próteses, que funcionam sem causar dor ou desconforto”, explica Torezan, que destaca ainda que as cirurgias só são indicadas em último caso, depois de esgotadas outras tentativas.

Diagnóstico precoce

Para evitar que a situação se agrave, pessoas que identificam os sintomas de disfunção devem procurar um dentista logo que for possível. Caso a situação não esteja localizada nos dentes ou articulações o profissional saberá indicar um especialista adequado.

“Normalmente, o paciente que tem uma disfunção relata que sente dores de cabeça. Elas podem se estender para o pescoço, causar ruídos, zumbido nos ouvidos, dificuldade para mastigar alimentos e desgastes dentários, além da limitação para abertura da boca”, explica o dentista Guaracy Perin Junior, especialista em ortodontia e ortopedia facial.

Quando o problema tem origem muscular, muitas vezes o tratamento é feito com medicamentos anti-inflamatórios. Também podem haver, entretanto, quadros de infecção no ouvido, que causam essas disfunções. “Nesse caso o tratamento é realizado em conjunto com um médico otorrinolaringologista”, complementa Perin.

Perin explica que a mandíbula e o osso temporal, localizado nas laterais da cabeça, se encaixam. E é esse encaixe, quando não está funcionando bem, que causa as disfunções. Elas também podem ser identificadas pelo chamado bruxismo, ou seja, o ranger dos dentes durante o sono.