Sala do Participante

Adriano Antonio Pereira

29/03/2019

Adriano Antonio Pereira

Adriano Antonio Pereira nasceu na cidade de Borda da Mata (MG), é graduado em Administração e tomou posse no BB em 2010. Aos 21 anos, incentivado na universidade pelo professor e escritor Mauro Gouvêa, começou a divulgar os primeiros trabalhos e atualmente escreve poemas sobre os mais variados temas.

Fale resumidamente sobre você: onde nasceu, onde vive, sua carreira no Banco do Brasil, se é aposentado ou ainda trabalha e outros fatos que deseja destacar.
Nasci em 1987, mineiro, natural de Borda da Mata, casado, papai da Sophia, graduado em Administração e pós-graduado em Planejamento e Gestão Estratégica. Trabalho no BB desde 26/04/2010. E tomei posse em Borda da Mata-MG. Trabalhei nas agências Monte Sião-MG e Ouro Fino-MG. Atualmente estou como Assistente de Negócios na Agência Ipuíuna (MG). Sou prestador de serviços no site Profissionais do Livro e membro da Casa dos Poetas e da Poesia, na qual fui coadministrador.

Como surgiu a literatura em sua vida?
Quando tinha 11 anos  fazia recortes em revistas e afirmava que queria ser escritor. Gostava dos textos em atividades escolares que já envolviam os grandes escritores nacionais. Aos 21 anos, incentivado na universidade pelo professor e escritor Mauro Gouvêa, comecei a divulgar os meus primeiros trabalhos. Na época, já me familiarizava com livros de Administração e Literatura.

Em que você se inspira? Você se espelha em outros autores?
Exceto para textos como crônicas, contos, artigos etc., que podem ser confeccionados a partir de um determinado tema ou assunto, diria que o poema é minha obra literária predominante e nasce repentinamente, através de uma observação, um pensamento, uma memória, um fato cotidiano ou um espanto.
Gosto muito dos escritores: Ferreira Gullar, Adélia Prado, Manoel de Barros, Carlos Drummond de Andrade, Affonso Romano de Sant'Anna, Mario Quintana e Fernando Pessoa.

Ao escrever, quais assuntos e temas mais despertam seu interesse? Por quê?
Já escrevi sobre metapoema, amor, esperança, saudade, cotidiano, sociedade, política, dor, felicidade, tristeza, vida, tempo, morte etc. Como havia mencionado anteriormente, são temas que fulgem através de vários fatos e que precisam ser anotados imediatamente, pois fazem parte de um momento ímpar.

Que obras já lançou e sobre que temas se referem?
1-Agronegócio, 2015: a importância, o potencial e o desenvolvimento na economia brasileira.
2-O coração que carrega, 2016: contém meus primeiros 51 poemas, divididos em 3 temas: poesia, inspiração e amor.
3-Transição, 2017: Possui um artigo e poemas sobre sociedade, política, amor, bem como crônicas de diversos assuntos.
4-Fragilidades, 2018: possui textos inspirados a partir de comentários feitos em obras de outros autores, em um momento pós-operatório de repouso e superação.

Está trabalhando em alguma nova obra? Tem alguma previsão de lançamento?
Em 20/03/2019, editei a Antologia Poética Volume I, que reúne um total de 63 textos das obras: O coração que carrega, Transição, Fragilidades, poemas inéditos e bônus que se perderam com  o tempo em blogues ou sites literários.
Pretendo editar em 2020 meu trabalho acadêmico da graduação: "A negociação como fator de sucesso nas vendas de uma instituição financeira", e um 5º livro de poemas inéditos, denominado "Afago dos dias".

Qual a importância do trabalho criativo em sua vida? O que você busca com suas obras?
A escrita e a palavra são importantes para o processo criativo e de lazer em minha vida. Um hobby que me traz paz interior e felicidade. Busco com minhas obras expressar identidade própria e inventada, por meio de sentimentos, pensamentos, visões e entretenimento interior e exterior, deixando transparecer a arte e o processo de criação únicos.

Recomenda a outros colegas que se dediquem a esse tipo de atividade? Por quê?
Recomendo, pois compartilho do que disse o poeta Ferreira Gullar: "A arte existe porque a vida não basta". E também meu amigo e escritor Léo Guimarães, prefaciando minha antologia: "Não existe vida sem a poesia, sem as letras, sem o cheiro de um livro ou a maviosidade de uma canção. O ser humano em si está intrinsecamente ligado à arte. Em toda pessoa pulsa uma veia artística, seja ela ligada à literatura, escultura, música, teatro, dança ou quaisquer outras expressões da arte."

Como ter acesso a suas obras?

Por meio dos links: www.bit.ly/livro_1 | www.bit.ly/livro_5