Sala do Participante

Carlos Decúpero

30/12/2014

Carlos Decúpero

 
Carlos Augusto Decúpero é um artista versátil. Escritor, fotógrafo e artista plástico, acaba de lançar um site onde apresenta seus trabalhos. Na página www.decuperoarte.com  é possível ver fotos tiradas pelo autor, telas que já foram premiadas e aquelas que estão disponíveis para venda.
 
O artista vive em Santo Antônio de Pádua, cidade do norte do estado do Rio de Janeiro. Nascido na cidade, ele sempre viveu e trabalhou por lá. Foram 24 anos na agência do Banco do Brasil que leva o nome da cidade até a sua aposentadoria, em 1998.
 
Segundo Decúpero, o interesse pelas artes vem desde a infância. Sempre de forma autodidata, ele desenvolveu o trabalho nas diversas manifestações artísticas. Com isso, as criações se misturavam e influenciavam umas às outras.
 
“Eu sempre gostei de fotografia. Quando queria pintar alguma coisa, fotografava o local. Quando escrevia, buscava escrever algo relacionado à fotografia e à pintura”, afirma o artista, que hoje se dedica mais às artes plásticas e às fotos.
 
Ele conta que tem o hábito de retratar coisas simples que fazem parte do cotidiano. Proprietário de uma gráfica, ele costuma fotografar partes do trajeto que percorre entre a casa e o local de trabalho.
 
“Gosto de fotografar no inverno. Minha cidade tem um rio e gosto de mostrá-lo nas diferentes épocas do ano. Assim, é possível ver a diferença na cor da água, que nem sempre é azul, e muitas vezes fica esverdeada”, explica.
 
As pinturas que ele realiza atualmente são no estilo concretista, e busca experimentação com diversos materiais. A preferência é pela tinta a óleo, mas muitas vezes ele opta por usar a tinta acrílica, que é mais prática e permite a conclusão do trabalho mais rapidamente.
 
“O caminho da arte está muito diversificado. É possível ver artistas trabalhando com vários materiais, e também comecei a diversificar o meu trabalho. Ganhei mais rapidez no trabalho de fotografia através das máquinas digitais, já que é possível ver o resultado das fotos na hora”, complementa.
 
 
Como as artes plásticas surgiram na sua vida?
 
Eu comecei desenhando no colégio. Na pintura, comecei por volta dos 16 anos. Na época pintava com guache, desenhando rostos de artistas. Nem sabia o que era tinta a óleo. Na época, na década de 1960, era difícil encontrar esse tipo de material em cidades do interior, como a minha. Nos anos 70 foi que as pessoas começaram a se interessar mais por isso. Na fotografia comecei depois, quando ia acampar e escalar.
 
Como é trabalhar com manifestações artísticas tão distintas?
 
O enquadramento da fotografia é muito diferente do da pintura. Com isso, você consegue desenvolver seu olhar pessoal para as duas coisas.
 
Para falar com Carlos Augusto Decúpero basta clicar na aba “contatos” do site http://www.decuperoarte.com/.