Sala do Participante

Artes

14/02/2019

Joemerson Fagundes Pereira

Nascido em Contagem, Minas Gerais, Joemerson iniciou a carreira como menor aprendiz de Serviços de Apoio no Banco do Brasil em 1983. Influenciado por uma professora de artes, o ator e diretor buscou experiências e formação em Artes Cênicas. Além de ministrar oficinas, treinamentos, cursos e seminários de teatro há 18 anos, atualmente ele é Gerente de Setor no CESUP Adcon em Belo Horizonte. 

Como e quando você começou a se interessar por teatro?
Meu interesse pelas Artes Cênicas se deu a partir do ensino fundamental. Estudei na Escola Estadual Prof. Leon Renault em Belo Horizonte (MG). Entre outras oportunidades de conhecimento extracurricular, tínhamos teatro. Em 1988 ingressei no Grupo Verbenas, nos anos seguintes estudei em algumas escolas de teatro e atuei em diversas peças. Nos últimos 18 anos tenho também ministrado treinamentos, oficinas, seminários e cursos.


Que tipo de peça mais gosta? Que artistas inspiraram você?
Atualmente o estilo que mais admiro e desenvolvo em minhas peças é o Mambembe. Tenho também personagens no estilo clássico: Charles Chaplin, Mazzaropi e Selton Mello.


Qual a importância da arte em sua vida? O que você busca com sua arte?
É importante e relevante pois proporciona o exercício da sensibilidade pelo próximo e por questões que de fato são relevantes nas relações. Tenho buscado através da minha arte servir à Deus e ao meu próximo, na medida em que utilizo essa ferramenta para levar conhecimento, crescimento, reflexões, ajuda, apoio, incentivo, entre outros elementos enriquecedores das relações.


Como faz para se aprimorar? Já fez ou faz cursos? É autodidata?
Através de leitura técnica e outros gêneros, participação em congressos, seminários e eventos de artes cênicas. Além disso, ministrando oficinas, treinamentos e compartilhando experiência através de grupo de interesse na área. Realizei diversos cursos na área de Teatro. Não sou autodidata, apesar de após 30 anos na área conseguir desenvolver algumas habilidades e conceitos construídos ao longo da jornada de troca de experiência e conhecimento.


Recomenda a outros colegas que se dediquem a esse tipo de atividade? Por quê?
SIM! Pois é rica e relevante para a vida, bem como para enriquecer o processo de comunicação e relacionamento com as pessoas. Desenvolvimento pessoal, principalmente, na área da comunicação.


Já realizou apresentações? Cite alguns lugares? Pretende participar de novos shows?
Sim! Teatro ICBEU, Teatro Marília, Teatro Sesiminas Centro de Cultura Nansen Araújo, Teatro Casanova, Teatro Francisco Nunes, todos em Belo Horizonte (MG), e em algumas localidades em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Apresentei-me em diversas escolas, creches, orfanatos, asilos, igrejas, além de teatro de rua/praças. Tenho sim interesse em continuar, inclusive, intensificar assim que for possível minha aposentadoria do BB.


Gostaria de destacar mais alguma informação?
Gosto da proposta da Arte com propósito e não simplesmente arte pela arte. Creio que nossa arte precisa gerar conhecimento, crescimento, relacionamento, informação que edifica e produz vida. Nossa arte precisa ser inclusiva, ética e moral no sentido de valorizar os princípios e valores de uma sociedade justa e descente.


Como ter acesso a suas músicas/peças e agenda de espetáculos?
Pelo Facebook.