Sala do Participante

Hayton Jurema Da Rocha

01/08/2019

Hayton Jurema Da Rocha

Fale resumidamente sobre você: onde nasceu, onde vive, sua carreira no Banco do Brasil, se é aposentado ou ainda trabalha e outros fatos que deseja destacar.

Sou paraibano, criado em Alagoas desde os dez anos de idade, vivo hoje entre Brasília, Maceió, Boston (EUA) e São Paulo, onde moram meus filhos e netos. Hoje, aposentado, aos 61 anos, trabalhei por toda a vida no Banco do Brasil desde 1974 como menor estagiário para serviços gerais. Exerci várias funções por mais de 40 anos, inclusive de presidente da Cassi (2010 a 2012), diretor de Gestão de Pessoas (2001 a 2003) e de Marketing e Comunicação (2012 a 2014), além de superintendente estadual em Alagoas, Distrito Federal, Bahia e Pernambuco (de 1995 a 2000).

Como surgiu a literatura em sua vida?

Não sei exatamente! Sei que sempre fui curioso, atento às coisas que via ou que me contavam. Meu pai, que também trabalhou no BB, lia muito e me estimulou desde cedo. Tive que escrever bastante durante minha carreira profissional, até por dever do ofício. Quando me aposentei, resolvi escrever textos curtos e leves na linguagem mais simples possível sobre fatos marcantes em minha vida pessoal e profissional. Dessa forma, mais tarde, meus netos e bisnetos poderiam me conhecer um pouco melhor.

Em que você se inspira? Você se espelha em outros autores?

Sempre gostei de esportes, música e leitura, em particular de biografias e crônicas. São dessas paixões que procuro extrair meus textos. É claro que me inspiro em grandes escritores e poetas que admiro como Cecília Meireles, Clarice Lispector, Drummond, Graciliano, João Ubaldo, Quintana, Nelson Motta, Nelson Rodrigues, Quintana, Rubem Braga, Ruy Castro, Veríssimo, Vinicius de Moraes e outros.

Ao escrever, quais assuntos e temas mais despertam seu interesse? Por quê?

Memórias das escolhas que fiz ao longo da vida. Viver, como escrevi outro dia, é sobreviver à versão de nós mesmos que decidimos assumir. Discordo de Charles Bukowski quando aconselha a desistir de escrever: “não o faças a menos que saia da tua alma como um míssil; a menos que o estar parado te leve à loucura, ao suicídio... a menos que o sol dentro de ti te queime as tripas, não o faças”. Penso que a vida é muito importante para ser levada tão a sério. Precisamos de mais leveza, menos drama.

Que obras já lançou e sobre que temas se referem?

Eu comecei a escrever com mais intensidade no início deste ano. Para mim e para quem leu minhas crônicas, se considerar o número de visualizações no blog que criei para publicar o que escrevo, as melhores foram: Só eu sei, Memória de minhas surras tristes, Os afilhados de Dona Canô, Pode entrar que a casa é sua, Achados e perdidos e O dia em que o mundo acabou.

Está trabalhando em alguma nova obra? Tem alguma previsão de lançamento?

Livro ainda não. Toda semana rascunho duas ou três crônicas sobre temas variados. Acabo optando por uma, fecho a versão final e publico no Blog do Hayton. Desde abril deste ano, em média 470 pessoas leram a crônica da semana e muitas fizeram comentários bem interessantes, o que serve de estímulo para que eu busque o aperfeiçoamento dos meus textos.

Qual a importância do trabalho criativo em sua vida? O que você busca com suas obras?

Tudo é muito simples. Quero mesmo é me divertir com um exercício mental um pouco mais intenso, porém sem compromisso com horário, prazo de entrega ou interesse em virar escritor. Outro dia, recebi uma mensagem de uma sobrinha que contou que lê minhas crônicas para suas filhas pequenas. Preciso de mais?

Recomenda a outros colegas que se dediquem a esse tipo de atividade? Por quê?

Claro! Faz muito bem, não custa praticamente nada e nos mantém conectados com o que acontece na vida, que se renova todo dia. Ler e escrever são os hábitos mais saudáveis que se pode ter. Quintana disse que "os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem." Para mim, quem gosta de ler necessariamente gostará de escrever. São dois lados de uma mesma moeda.

Como ter acesso a suas obras?

É só procurar nos buscadores da internet pelo meu nome: Hayton Rocha. Ou no link: www.haytonrocha.blogspot.com