Sala do Participante

Em busca da individuação

06/11/2015

Em busca da individuação

O psiquiatra e psicanalista suíço Carl Jung dedicou décadas de estudos entre o final do século XIX até pouco antes de falecer, em 1961, para melhor compreender as inquietações humanas. Ao dar vida para o termo “individuação”, descreveu em suas obras a evolução do homem, desde o estado infantil até uma fase de maior diferenciação, com maior compreensão e atenção ao que cada indivíduo emana de si mesmo. Escritos que inspiraram profissionais por todo o mundo.

Em Curitiba, João Lopes Rodrigues cursava psicologia, sua segunda faculdade, quando optou seguir a linha junguiana. Aposentado pela Previ desde 2012, ele atualmente se dedica ao estudo nas áreas de psicologia, filosofia, mitologia e religião. E uniu a paixão pela escrita, intensificada durante sua primeira faculdade, em Letras, para colocar as pesquisas em palavras acessíveis a todo o mundo.

“Posteriormente, com a minha formação em Psicologia, comecei a explorar em meus escritos temas voltados para o comportamento humano: amor, ódio, paixões, desilusões. Na sequência, optei por particularizar os temas, reduzindo-os a ciúme e inveja.” Assim que se aposentou, Rodrigues deu vida ao blog: "Do ciúme e da inveja: a psicologia do amor pelo avesso", disponível em: www.joaolopesrodrigues.psc.br. Um espaço para dar voz a estes dois temas, sempre muito presentes durante os anos como psicólogo clínico, em leituras rápidas e provocativas à reflexão.

“A intenção é que aquela pessoa que se sente "oprimida" por tais sentimentos possam encontrar na leitura alguma espécie de "alento" para sua dor. Quer seja pela melhor compreensão de seu estado; quer seja pela possibilidade de buscar uma ajuda mais eficaz para sua condição: a psicoterapia”, conta Rodrigues.

O psicólogo ainda complementa: “Ciúme e inveja são sentimentos intrínsecos à natureza humana. O homem convive com os mesmos desde sempre. Independem de raça, gênero, condição social. Algumas pessoas administram de uma forma mais equilibrada; outras, entretanto, necessitam de ajuda para fazê-lo, sob pena de arcar com maiores prejuízos”.

Vozes internas

Assim como o mestre suíço, Rodrigues aproveitou para unir aos dois temas outra paixão da adolescência: as mitologias. “Busco explorar esses temas fazendo uma correlação com a mitologia, que tão bem ilustra as vicissitudes da vida”, destaca. Foi com o estudo em psicologia que ele entendeu a influência dos mitos em nosso dia a dia, no pensamento e nas ações do homem.

Em seu blog, a ênfase é aproximar, sempre que possível, os temas abordados com o pensamento de Jung e, caso o assunto comporte, fazer alusão a outros autores, como o feito ao psicólogo austríaco Alfred Adler no recente texto “Da posse e do poder: quando já não há amor”.

A escrita para Rodrigues é uma consequência da leitura, muito presente no dia a dia do psicólogo: “Quando sinto a necessidade de expressar meu próprio ponto de vista. Gosto de fazer minhas indagações, levantar questões, deixar reflexões suspensas a serem ‘trabalhadas’ individualmente pelo leitor. Acredito na escrita que surge espontaneamente, sem hora marcada. Geralmente os sonhos me fornecem rico material.”

E para quem deseja, assim como Rodrigues, dar vida a questionamentos próprios ou até mesmo se aprofundar em questões internas, o autor traz uma última inspiração. “A chamada ‘terceira idade’ é uma condição inevitável para quem sobrevive ao tempo cronológico. Nessa fase, o indivíduo irá se deparar com uma série de questionamentos acerca da sua finalidade aqui na Terra. O próprio Jung já afirmava que ‘a partir dos 40 o ser humano inicia um novo ciclo evolutivo’. É natural que comece a questionar alguns valores: família, religião, relações afetivas, morte. Ainda citando Jung, o mesmo afirmava que ‘o maior conflito do ser humano é o conflito religioso’. Assim sendo, é natural que a terapia na terceira idade aborde essas questões e suas implicações.”

Para saber mais, vale conferir as publicações de Rodrigues no blog: www.joaolopesrodrigues.psc.br. Quem quiser entrar em contato com o autor pode enviar e-mail para jokgb@hotmail.com.