Sala do Participante

Artes

18/09/2012

Fábio Oliveira

Participante do PREVI Futuro, que é assessor na Diretoria de Tecnologia do BB, conquista prêmios internacionais com seus trabalhos

 

Um matogrossense que viajou o Brasil e parte do mundo por trás das lentes. Esse é Fábio Oliveira, assessor pleno de TI na Diretoria de Tecnologia (Ditec), em Brasília. Formado em administração, ele atua também como fotógrafo e já teve o talento reconhecido internacionalmente.

Nascido em Campo Grande, Fábio trabalhou em diferentes instâncias do Banco do Brasil (BB) na cidade. Há quatro anos, porém, deu início a uma nova fase da vida pessoal e profissional. "Após a faculdade, quando as câmeras digitais entraram no mercado, eu comecei a brincar com fotografia. Uma pena não ter entrado antes. A fotografia analógica é mágica", lembra.

Como contratado de uma empresa de publicidade, começou a fotografar corridas da Stock Car, a principal categoria do automobilismo brasileiro. A partir daí, não parou mais de clicar. Desfiles de moda, books femininos e outros trabalhos na área. Depois de muita insistência de um casal de amigos, aceitou fazer as fotos para montagem do convite de casamento deles. Deu certo: o trabalho foi reconhecido, as portas foram abertas e ele começou a fotografar casamentos em São Paulo, por intermédio de outro amigo.

Com o bom trabalho, a fama se espalhou. Fábio, então, uniu duas paixões: a fotografia e as viagens. Foi contratado para retratar casais em cidades como Rio de Janeiro, João Pessoa, Manaus, Salvador, Recife e muitas outras. Também atuou nos Estados Unidos, em Nova York, Miami, Orlando, Los Angeles, São Francisco e Las Vegas.

"Conciliar tudo isso com o Banco é complicado, não consigo fazer nada além das agendas de casamento", reconhece Fábio. Mas o esforço dá resultados. Membro de duas associações internacionais de fotógrafos de casamento, ele já recebeu três prêmios por seu trabalho. O primeiro foi oferecido pela Wedding Photojournalist Association (WPJA - em português, Associação de Fotojornalistas de Casamentos). Os outros dois, pela Fearless Photographers (no Brasil, Fotógrafos Destemidos).

Consegue traçar paralelos ou comparações entre suas atividades no BB e na fotografia?
Para mim, o Banco em si é uma casa, uma grande família. Moro longe de todos os meus familiares. Aqui encontrei realização profissional e financeira, amigos e parceiros. Na fotografia eu me realizei como pessoa, como sonhador. Nunca pensei que chegaria tão longe.

Como se sente tendo vencido os concursos internacionais?
Gostei muito de participar desses concursos, não pelo prêmio em si, mas por estar lado a lado dos fotógrafos que me inspiraram a começar nesse mundo da fotografia de casamento. Estar ao lado deles é um privilégio.

Quem quiser conhecer o trabalho de Fábio pode acessar o site www.fabiooliveira.com.br.

 

Galeria de fotos