Sala do Participante

José Lucas da Silva

21/02/2020

José Lucas da Silva

Fale resumidamente sobre você: onde nasceu, onde vive, sua carreira no Banco do Brasil, se é aposentado ou ainda trabalha e outros fatos que deseja destacar.

Sou aposentado do Banco do Brasil e membro da Academia Caruaruense de Cultura, Ciências e Letras. Trabalhei nas agências de São Bento do Una, Garanhuns, Centro-Recife (setor de Câmbio) e Caruaru, como assessor de comunicação. Durante 22 anos exerci a função de instrutor do Desed nos cursos de Comunicação e Expressão e Oficina de Comunicação Administrativa. Também integrei o quadro de colaboradores da Resel (antiga divisão de Recrutamento e Seleção do Desed) na elaboração e correção de redações nos concursos internos do BB.

Como surgiu a literatura em sua vida?
O pendor pelas letras marcou a minha vida estudantil desde o início, preferindo as disciplinas relacionadas à literatura e às línguas. Na juventude, participei de grupos que tinham como escopo as discussões literárias. Como assinante de revistas e jornais, sempre procurei colaborar nos espaços disponibilizados para os leitores. Mas a decisão de escrever livros só veio após a aposentadoria, com o incremento de meu tempo livre.

Em que você se inspira? Você se espelha em outros autores?
Na verdade, todos os bons textos que leio influenciam um pouco o meu estilo. Ora são palavras novas, ora são construções sintáticas inusitadas!  Mas os escritores nos quais mais me espelho são aqueles que conseguem passar as mensagens de forma clara, concisa, objetiva e elegante. Entre eles, destaco Drummond, Mario Quintana e Graciliano Ramos.

Ao escrever, quais assuntos e temas mais despertam seu interesse? Por quê?
Como me considero um ecdemomaníaco (quem tem obsessão por viagens) é esse o tema que mais me atrai. Mas, o meu terceiro livro -- Kermógenes Dias - O Crítico Literário --, em parceria com um colega acadêmico, é um resgate da obra desse eminente escritor potiguar, que é o patrono da cadeira que ocupo na Academia Caruaruense de Cultura, Ciências e Letras. Mesmo sendo oriundo do Rio Grande do Norte, toda obra de Kermógenes foi gestada em Caruaru, onde foi professor por mais de 30 anos.

Que obras já lançou e sobre que temas se referem?
O Andarilho de Santa Rita, meu livro de estreia veio à lume em 2007. É uma obra autobiográfica em sua primeira parte, porém também contempla o relato das primeiras viagens pelo Brasil e Exterior. Em Cantos do Mundo, lançado em 2017, é uma coletânea de 41 crônicas de viagens, vivenciadas em países do Oriente Médio, da Europa, da América do Norte e Central, além da América do Sul e do Brasil.

Está trabalhando em alguma nova obra? Tem alguma previsão de lançamento?
No meu quarto livro pretendo resgatar a história da família que construí com Terezinha e deve ser lançado na comemoração das Bodas de Ouro do casal.

Qual a importância do trabalho criativo em sua vida? O que você busca com suas obras?
Há um axioma que diz: ”mente parada, oficina do diabo”. É à leitura e à escrita que recorro para manter a mente sempre ativa. Por outro lado, procuro registrar os fatos marcantes da vida, para que o tempo não os destrua, pois como afirma o provérbio latino "paroli volant, scripta manent": as palavras voam, os escritos permanecem. Porém, antes de mergulhar nas atividades intelectuais, pratico diariamente 90 minutos de caminhada para exercitar o corpo, vivenciando a máxima latina "mens sana in corpore sano": mente sã em corpo são.

Recomenda a outros colegas que se dediquem a esse tipo de atividade? Por quê?
Recomendo o meu estilo de vida, tanto no aspecto físico quanto no mental. Observo que vários colegas que se aposentaram na minha época e com a mesma faixam etária já povoam os cemitérios. E a razão é quase sempre a mesa: ao deixarem o Banco procuraram frequentar com mais assiduidade o sofá de casa e a mesa do bar.

Gostaria de destacar mais alguma informação?
Uma dica para os que estão programando entrar na “turma do pijama”: não se aposente sem um ter um projeto para essa nova fase da vida. Se você não tem pendor literário, participe de algum trabalho voluntário. Há muitos irmãos nossos carentes de ajuda, nos mais diversos aspectos.

Como ter acesso a suas obras?
O primeiro livro já está esgotado. O segundo, Em Cantos do Mundo, e o terceiro, Kermógenes Dias - O Crítico Literário, podem ser adquiridos nas principais livrarias de Recife e Caruaru ou através do meu e-mail: professorjlucas@gmail.com ou WhatsApp (81) 99952-1962.