Sala do Participante

Museu da Escrita tem nova rotina de funcionamento

12/08/2016

Museu da Escrita tem nova rotina de funcionamento

Lançado em novembro de 2012 como um espaço marcante no turismo cultural em Fortaleza (CE), o Museu da Escrita, projeto do participante PREVI José Luis Gomes de Morais, adotou uma nova rotina de atendimento. Antes aberto ao público de terça-feira a domingo, o espaço, agora, recebe apenas visitas de grupos agendados. Morais, porém, pretende voltar à antiga formatação assim que for possível.

“O museu é um projeto de muita paixão, mas tem custos muito elevados e, por isso, mudamos a forma de funcionamento. Seguimos recebendo visitantes, principalmente estudantes, em grupos agendados. A frequência tem sido bem alta e esperamos, no futuro, conseguir apoio para voltar a manter o espaço aberto como antigamente”, conta.

Em geral, os grupos têm entre 30 e 40 participantes. Visitantes que não fazem parte dos grupos escolares podem se juntar a eles, basta fazer o agendamento prévio. Os ingressos custam R$ 10 para a visita guiada, que mostra um acervo impressionante, apresentado em uma casa de cerca de 450m² de área construída e totalmente adaptada ao museu, incluindo questões de acessibilidade.

O acervo foi criado a partir de um antigo hábito do participante: o colecionismo. Primeiro, colecionou moedas e selos. Depois se entusiasmou com máquinas de escrever. Comprou algumas durante viagens ao exterior e foi aí que tudo começou. Depois da primeira exposição, em um edifício dos correios em Fortaleza (CE), o projeto ganhou fôlego e culminou com o lançamento do Museu da Escrita Professora Maria Isaurita Gomes Morais – homenagem à mãe de José Luis, que foi professora.

Pelo Banco do Brasil (BB), o participante atuou em Fortaleza e também na cidade de Icó, interior do Ceará.

Como os visitantes avaliam o museu?
Muitas pessoas que visitam o museu não acreditam que existe um acervo como esse aqui. Nosso acervo é muito organizado e o museu é admirável, de acordo com o relato das pessoas que frequentam.

Quais os principais desafios em um projeto como esse?
Fortaleza é uma cidade que, do ponto de vista cultural, está muito ligada à praia, que as pessoas estão acostumadas a visitar. Nosso trabalho existe para tentar fazer com que as pessoas passem a ter o hábito de visitar também o museu.

O Museu da Escrita Maria Isaurita Gomes Morais funciona à Rua Dr. Walter Studart, 56, bairro Dionísio Torres, Fortaleza (CE). O agendamento de visitas pode ser feito pelos telefones (85) 3244-7729 e (85) 98695-3244 ou por e-mail (institutojlm@hotmail.com).