Sala do Participante

Rinaldo de Souza Coelho

27/07/2018

Rinaldo de Souza Coelho

O fotógrafo carioca Rinaldo de Souza Coelho entrou para o Banco do Brasil no ano de 1987 e atualmente trabalha na Previ desenvolvendo atividades na área da Tecnologia da Informação. Rinaldo tem como inspiração os fotógrafos Cartier Bresson e Pierre Verger. “Além de inspirar me apontaram o caminho que eu ia trilhar”, diz o fotógrafo.

Fale resumidamente sobre você: onde nasceu, onde vive, sua carreira no Banco do Brasil, se é aposentado ou ainda trabalha e outros fatos que deseja destacar.

Sou natural do Rio de Janeiro, funcionário desde dezembro de 1987 e atualmente lotado na Previ, onde desenvolvo atividades em tecnologia da informação. Minha trajetória no Banco iniciou-se na agência Centro Rio onde permaneci por cerca de cinco anos atuando como escriturário junto a setores ligados ao funcionalismo. Fui cedo para a Previ, onde desde 93 atuo na área de tecnologia, passando por atividades ligadas a operação, desenvolvimento, infraestrutura (banco de dados) e atualmente como arquiteto de infraestrutura.

Como e quando começou a se interessar por fotografia?

A fotografia é uma paixão que me acompanha desde tenra idade, com destaque para o incentivo que meu pai deu quando lá por fim dos anos 70 me presenteou com sua antiga Yashica 6x6, que até hoje uso com carinho. Porém quando entrei para o Banco foi quando pude desenvolver de fato a atividade, comprando minha primeira 35mm e montando meu laboratório P&B [preto e branco].
Quais as inspirações para seu estilo e trabalhos? Você se inspira em outros artistas?
Paisagem, arquitetura e cenas do cotidiano foram minha principal inspiração. Cartier Bresson e Pierre Verger além de inspirar me apontaram o caminho que eu ia trilhar. Encontrei no Preto e Branco minha verdadeira linha de trabalho e vocação. Os contrastes, as leituras possíveis a partir dos ângulos diversos, a composição aliada a possibilidade de trabalhar de forma mais direta cada imagem em laboratório, me contagiaram e até hoje continuam sendo minha principal forma de expressão artística.

Quais assuntos e temas mais despertam seu interesse na fotografia? Por quê?

O principal tema pra mim é o contraste. Contraste esse que nem sempre se expressa única e exclusivamente nas nuances de preto, branco e cinza, mas principalmente na ideia e nos temas que busco desenvolver. Arquitetura bem como cenas do cotidiano captadas a partir de ângulos inusitados buscam exercitar nossa imaginação e criatividade. Olhando sob essa perspectiva, praticamente qualquer lugar é lugar para fotografar, e isso me inspira e motiva olhar buscando o desafio do inesperado.

Qual a importância da fotografia em sua vida? O que você busca com sua arte?

Fotografamos 24 horas por dia com nossos olhos, equipamento mais do que perfeito. A fotografia constitui para mim, a materialização desse olhar que de forma irrequieta não nos deixa parar de ver o mundo e tentar interpretá-lo. No entanto, em termos de arte, sempre sonhei em ver minhas fotos "enquadradas" e dessa forma desenvolvo meu olhar. Sempre que estou fotografando meu objetivo é criar composições que, de alguma forma, motivem o observador a querer tê-la em sua parede da sala.

Qual a importância da tecnologia em sua foto? Que técnicas você utiliza?

A tecnologia é emblemática. A própria fotografia conta uma história de desenvolvimento tecnológico onde o olhar deve sempre estar em foco e no centro. Sou um apaixonado pelo filme fotográfico e em especial o preto e branco. Talvez uma forma nostálgica de prestar culto aos grandes nomes da fotografia que me inspiraram. Porém, o laboratório que tive, hoje foi substituído por dois scanners, computadores e programas. Utilizo o digital também, mas o filme constitui a principal matéria-prima.

Como faz para se aprimorar? Já fez ou faz cursos? É autodidata?

Minha formação é basicamente autodidata mas tive alguns professores durante minha trajetória, principalmente em técnicas de laboratório e revelação. Hoje desenvolvo meus próprios reveladores e pesquiso sempre técnicas e novas alquimias que permitam aprimorar os resultados a partir do filme e da manipulação digital.
Recomenda a outros colegas que se dediquem a esse tipo de atividade? Por quê?
A prática fotográfica é extremamente gratificante e ao alcance de qualquer pessoa. Com o desenvolvimento da tecnologia, hoje a captura da imagem é perfeitamente possível com investimentos bem razoáveis. É claro que a medida que vamos nos deixando contagiar com essa prática, quando menos percebemos estamos adquirindo ou desejando equipamentos melhores para registrar as imagens que nos seduzem. A fotografia liberta nossa imaginação e estimula os sentidos. No meu caso, me mantém vivo.

Járealizou exposições? Cite alguns lugares? Pretende fazer novas?

Participei de uma exposição na Biblioteca do Estado do Rio em outubro de 1996, com o tema: "A Força de um Detalhe". Além dessa exposição, participei de alguns eventos culturais, com destaque para o "Viva Rio", em dezembro de 95, no qual Betinho [o sociólogo Herbert de Souza] e diversos artistas globais se mobilizaram contra a fome e desnutrição. Também cobri o evento cultural "Rio Cult", no mesmo período, com participação de artistas plásticos de todo o país e de fora também. Quero voltar a expor e venho trabalhando para isso.
Gostaria de destacar mais alguma informação?
Embora meu trabalho seja amador, tenho buscado me reinventar. Principalmente à luz das novas tecnologias, onde o tradicional, como o filme e reveladores, trabalham lado a lado com o digital, com scanners, computadores e programas juntos na mesma mesa. Tenho explorado as impressões fine arts com o objetivo de identificar os melhores papéis e formatos que representam mais adequadamente minhas imagens. Nessa busca tenho trocado experiências com artistas e conhecido técnicas novas e espetaculares.

Como ter acesso a suas obras, seja para apreciar ou adquirir algum trabalho seu?

Comecei a desenvolver presença na internet, ainda um laboratório da imagem, como eu chamo. E nesse espaço tenho algumas fotos mais antigas, que participaram de minha primeira e única exposição, bem como outras mais recentes com alguns dos traços que tenho buscado inovar. Meus perfis no Instagram e Facebook têm alguns trabalhos coloridos.

Site: www.altocontrastephoto.com

Redes sociais: www.instagram.com/coelho10_lk/ e www.facebook.com/altocontrastephoto/

E-mail: rinaldo.coelho@outlook.com


 

Galeria de fotos