Sala do Participante

Voluntariado

14/08/2012

Edilson Orlando

Edilson Eduardo Orlando é formado em direito e letras. Funcionário do Banco do Brasil (BB) desde 2008, o escriturário conta em seu currículo com uma pós-graduação em Ciências Jurídicas e, ainda, Gestão Financeira. Nascido em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), desde criança possui gosto pela leitura. Com o incentivo da família e da escola, o hábito de ler cresceu.

Quando garoto lia gibi, revistas diversas e clássicos da literatura, como Machado de Assis. Hoje, ele pratica o bookcrossing que, conceitualmente, é a prática de deixar um livro em um local público para que alguém o encontre, leia a obra e, depois, a solte e, assim, sucessivamente.

"Eu já tinha visto em um programa de televisão um projeto desse tipo. Na ocasião fiquei entusiasmado, mas não tinha como colocar em prática, pois precisava de uma estrutura mínima. Quando voltei para Assis (SP), cidade em que vivo desde jovem por questões de estudo, resolvi tirar do papel o projeto e praticá-lo", explica.

O funcionário do BB esclarece que o "Ciranda do Livro de Assis" é um projeto que tem como objetivo estimular a leitura entre a população local. O acervo inicial foi composto por doação do próprio Orlando, familiares e amigos. Os títulos, em seguida, são espalhados em pontos estratégicos da cidade como instituições bancárias, lojas e locais de circulação.

Os livros "perdidos" provocam estranhamento e curiosidade dos cidadãos que ao pegarem a obra têm acesso a um bilhete com uma mensagem. Nela, há a recomendação de que no final da leitura o livro seja repassado a um amigo e que, se possível, que entre em contato com os voluntários para dar um retorno do que achou do conteúdo e do projeto.

Que tipo de retorno vocês têm?
Algumas pessoas realmente dão retorno. Tem gente que quer se engajar com o "Ciranda do Livro de Assis", outras apenas comentam sobre o livro, há quem queira doar obras. Teve uma pessoa que comentou que nunca tinha lido um livro por completo. É incrível o poder da leitura.

Além de distribuir os livros, há outras iniciativas?
Sim. Realizamos um sarau na praça pública aqui de Assis. O último foi sobre Chico Buarque. Convocamos a população para se expressar através das artes. Tivemos apresentação de música, poesia, ballet clássico, dança popular etc. Funciona no boca a boca. Um comenta com o outro e assim vai.

Com quantos livros vocês contam no acervo para manter essa rotina de distribuição de livros pela cidade de Assis?
Por mês distribuímos de trinta e quarenta livros. Hoje, temos uns 400 livros, mas vamos espalhando aos poucos até mesmo para o estoque não acabar. Separamos por gênero. É importante administrar a distribuição para conseguirmos a manutenção do projeto. Dessa forma, vamos criando o hábito. Algumas pessoas já esperam pelos livros "perdidos" na cidade. Inclusive, aceitamos doação de obras. São os livros que alimentam o projeto.

Quem quiser conhecer com mais profundidade o projeto ou fazer doação, pode entrar em contato com o funcionário através do email edilson.orlando@ig.com.br ou cirandadolivrodeassis@bol.com.br. Também é possível falar com Orlando pelo número (18) 9785-7177.

Galeria de fotos