Sala do Participante

Voluntariado

06/12/2011

Ivete Rosa de Azevedo


Aposentada desenvolve trabalho de assistência a crianças e adolescentes
 
Há dois anos a aposentada do Banco do Brasil (BB) Ivete Rosa de Azevedo, ao lado de sua irmã Tânia Mesquita Guimarães (também aposentada do BB), do cunhado e do marido, juntamente com algumas pessoas amigas, fundou a Associação Desenvolvendo Vida e Missão (Advem). A entidade é uma organização do Terceiro Setor e realiza ações socioeducativas, de assistência social e de saúde, principalmente para famílias de baixa renda da periferia da cidade de Uberlândia (MG).

Voluntária desde criança
Ivete comenta que desde os 15 anos ela realiza atividades voluntárias em sua cidade natal, Uberlândia. Na época, participava de um grupo de jovens do Rotary Club ajudando na higiene de crianças e adultos, como, por exemplo, corte de cabelo.
 
Outra experiência foi presidir a Associação Metodista de Assistência Social (AMAS), no final da década de 80 e início de 90, a qual mantinha uma creche chamada Maria Tavares com atendimento de 65 crianças por dia. Ivete também participou como voluntária, tanto na organização quanto na realização de 13 projetos missionários que, em caravanas, levavam assistência à saúde a várias partes do Brasil. 

Reconhecimento
Para Ivete, o grande reconhecimento do trabalho é o carinho e retorno daqueles que recebem a assistência, mas admite que é importante ver reconhecimento do trabalho voluntário por instituições como a Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (AnaBB). A Advem ficou em quinto lugar entre os 131 projetos apresentados em agosto de 2011, no V Prêmio Cidadania "Betinho", com o projeto "Semeando Oportunidades".



O que a Advem oferece aos assistidos?
Projetos de capacitação e desenvolvimento profissional a jovens e adultos " de 9 a 70 anos ", através dos cursos de alfabetização digital, alfabetização de adultos, artesanato e iniciação musical e instrumental. Há ainda assistência à saúde com dentistas, protéticos e oftalmologistas, que está sendo implantada.
 
Qual a maior dificuldade para desenvolver o projeto?
É a questão dos recursos financeiros, pois recursos humanos sempre aparecem. Nunca contamos com verba do poder público. Vivemos de doações dos associados, voluntários e amigos da Advem. Vários colegas da ativa e aposentados do BB ajudam. Temos oito turmas com 60 alunos e somos 102 voluntários, mas precisamos de mais ajuda.

E qual o grande prazer em desenvolver essa atividade?
Ver uma pessoa sem condições financeiras na iminência de perder o emprego por não saber usar um computador, conseguir reverter uma situação de aviso-prévio, depois de frequentar a alfabetização digital. Ensinar uma pessoa de 65 anos a ler e escrever também é gratificante.
 
Quem quiser ajudar o projeto, seja como voluntário para dar aulas ou para fazer doações, pode escrever para iveterosado@gmail.com ou advem@centershop.com.br. Telefones: (34) 9194-6492, falar com Tânia ou ainda (34) 9128-4004 para falar com Ivete.
 

 

Galeria de fotos