Sala do Participante

Voluntariado

21/10/2010

José Edson Vieira

José Edson Vieira é assistente administrativo do Banco do Brasil na cidade de Delmiro Gouveia (AL), 301 km de Maceió. O funcionário teve uma infância difícil e cresceu com um objetivo: ajudar crianças carentes. "Com o trabalho no banco tive condição financeira de fazer aulas de judô e oportunidade de ser voluntário", comenta.

Hoje, além de trabalhar na agência de Delmiro Gouveia, José Edson conduz um projeto social: o Judô Bezerra de Menezes, que atende, atualmente, 26 crianças entre oito e catorze anos, duas vezes por semana. José é instrutor de judô dessas crianças e, para ele, o melhor pagamento para esse trabalho voluntário é a contribuição para a educação desses jovens. "O resultado do projeto se vê na disciplina, integração, inclusão social e lazer dessas crianças", explica.

Você sempre se interessou pelo voluntariado?

Sim. Eu fui uma criança carente e, quando consegui entrar no Banco do Brasil, dizia que logo que pudesse iria ajudar crianças carentes através de algum trabalho social. Sempre fui ligado a esportes e o judô me trouxe muito equilíbrio emocional e maturidade para entender a importância do trabalho social.

O que o voluntariado representa na sua vida?

Acredito que o voluntariado é um grande instrumento de transformação da sociedade. Vejo-o como uma saída para resolver problemas sociais, principalmente, àqueles ligados à juventude. Quando me aposentar, quero ampliar minha participação nessa atividade, inclusive, criando outros núcleos na minha comunidade.

Que recado você gostaria de deixar para quem ainda não encontrou uma forma de ajudar a outras pessoas?

Procure desenvolver qualquer atividade em sua comunidade. Ela, com certeza, está precisando e sua contribuição será importantíssima.

Galeria de fotos