Sala do Participante

Voluntariado

21/01/2010

Madalena Lucina

Uma atividade que valoriza a ética, a disciplina, valores e crescimento individual de crianças, adolescentes e jovens. Essas são as vantagens atribuídas ao Movimento Escoteiro por Madalena Lucina de Souza, mineira de São Pedro dos Ferros que trabalhou no Banco do Brasil por 28 anos, até se aposentar na agência Corporate em Belo Horizonte (MG), em 2006. Mas, de acordo com ela, os benefícios dessa iniciativa não param por aí, palavra de voluntária.

Quando ouviu falar sobre o trabalho do Movimento Escoteiro em 1978, ano em que se mudou para a capital do estado, Madalena procurou a unidade mais próxima de sua casa, o Grupo Escoteiro do Ar Padre Eustáquio (Gearpe, para inscrever os dois filhos. Naquele momento, aposentada também se colocou à disposição para atuar como voluntária da entidade, que atualmente atende um público de 130 membros juvenis. "Os pais ajudam nas tarefas. Dos 30 adultos voluntários, três compõem a diretoria, 30 trabalham nas seções com os membros juvenis e os demais oferecem apoio em diversas outras áreas, como secretaria, lojinha, cantina, etc", afirma Madalena, diretora-presidente do Gearpe e educadora corporativa do Banco do Brasil.

Atuação dos escoteiros

A aposentada conta que o objetivo do Movimento Escoteiro é formar cidadãos éticos, corteses, responsáveis pelo próprio desenvolvimento e conscientes do seu papel no cuidado com a natureza e na sociedade. "Além dessas pessoas registradas, a comunidade é beneficiada com as atividades desenvolvidas com foco na preservação do meio ambiente, combate à dengue, segurança no trânsito e outras", avalia.

Madalena conta que as atividades acontecem ao ar livre e privilegiam o conceito de aprender fazendo, a vida em equipe e o respeito pelo outro. As crianças de 07 a 10 anos, do ramo lobinho, são incentivados a praticarem boa ação todos os dias. Os membros de 11 a 14 anos, os escoteiros, acampam, aprendem diversas técnicas e recebem treinamentos de primeiros socorros. Os seniores, de 15 a 17 anos, possuem atividades com mais desafios, enquanto os pioneiros se voltam para ações de servir à comunidade, através de campanhas, como para doação de sangue.

Rotina da voluntária

De março de 2002 a novembro de 2005, Madalena atuou como diretora administrativa do grupo. Em março de 2006, a voluntária foi eleita diretora-presidente, sendo reeleita para o cargo em 2008. Ao longo desses anos de dedicação ao Gearpe, a aposentada acompanhou muitas mudanças no comportamento dos membros. "Os pais nos dão depoimentos de que constatam melhorias significativas nas atitudes e formação dos jovens. Também percebemos o retorno quando os ex-membros trazem filhos e netos ou se disponibilizam a nos ajudar. Outra forma de reconhecer os resultados é quando psicólogos indicam crianças para o grupo, pois veem efeitos eficazes na prática do método escoteiro", conclui.

Acesse o  site do Gearpe para saber mais sobre o trabalho.

Galeria de fotos