Sala do Participante

Voluntariado

21/11/2005

Maria Geralda Amaral

Voluntárias unidas em torno de uma grande causa: confeccionar mantas para aquecer e dar carinho no inverno a pessoas carentes assistidas por instituições da cidade mineira de Divinópolis. Essa é a proposta do projeto Divino Tricô, coordenado por Maria Geralda Amaral, 58 anos, sendo 23 anos e meio dedicados ao Banco do Brasil.

A aposentada, que foi a primeira mulher a fazer parte do quadro de funcionários da agência de Divinópolis, fala sobre a iniciativa. "Essa experiência está dando certo com o Tricô Solidário em Belo Horizonte, por isso, decidi implementar aqui na minha cidade em outubro de 2005. Mobilizamos mulheres para fazer quadrados de tricô e crochê que serão costurados uns aos outros para confeccionar mantas que doaremos a instituições que assistem principalmente idosos carentes", explica.




A primeira instituição beneficiada será a Obras Assistenciais Frederico Ozanan, que abriga 61 idosos, na maior parte dos casos, abandonados por familiares. Até o dia 31 de maio de 2007, o Divino Tricô vai arrecadar quadrados (de 20x20 cm) para produzir mantas para cada interno.

"Para atender essa instituição precisamos de 2.400 quadrados, já que cada manta necessita de 40. Pedimos doações dos quadrados feitos com sobras de lã e linha de crochê, de novelos e até de dinheiro para comprarmos material para abastecer as tricoteiras, que muitas vezes não têm como comprar agulhas e linhas, mas têm vontade de sobra para ajudar", informa.

Segundo a coordenadora do Divino Tricô, os resultados já são notados. "A iniciativa de mobilizar a população está dando certo. Estamos conseguindo aumentar a solidariedade para quem necessita de agasalho no inverno. Nas ruas, pessoas se organizam em grupos para produzir os quadrados, funcionárias do Banco do Brasil estão se mobilizando, as senhoras que se reúnem na paróquia da cidade para fazer trabalhos artesanais, também estão ajudando. Ainda estamos no início, mas conseguindo bastante ajuda", comemora.

Para que o projeto tenha sucesso, a aposentada diz que a adesão pela população é fundamental. "Ainda estamos longe da quantidade necessária. Mas temos a expectativa de mais contribuições. Se as mantas que produzirmos excederem a quantidade necessária para a primeira instituição, vamos beneficiar outras instituições de caridade. Muita gente precisa. A idéia dará certo e em todos os invernos faremos distribuição de mantas", planeja.

Essa é a primeira vez que a aposentada dedica-se a um trabalho voluntário, experiência que, de acordo com ela, faz muito bem. "Estou me ajudando, ao ajudar quem precisa. Sinto-me valorizada de poder ajudar pessoas que não têm nada ou quase nada. Faz muito bem dar atenção, solidariedade e carinho a quem está abandonado", finaliza.

Mais informações sobre o Divino Tricô através dos contatos: divinotrico@hotmail.com e www.divinotrico.blogspot.com.

 

Galeria de fotos