Sala do Participante

Voluntariado

21/11/2005

Normeide Carneiro

Crianças desamparadas enquanto os pais trabalhavam. Meninos e meninas pedindo dinheiro nas ruas. Essa era a realidade de Mairi, município do semi-árido da Bahia até 1994. A situação começou a mudar quando a Associação Beneficente Nossa Senhora das Dores criou o projeto Resgatando a Cidadania. "Constatamos que os pais não tinham com quem deixar os filhos e organizamos um berçário. Com o crescimento das crianças ampliamos nosso trabalho e, de um pequeno berçário com 10 crianças de até 2 anos, passamos para uma creche de 0 a 6 anos que hoje acolhe 144 filhos de garis, lavradores, empregadas domésticas e até desempregados. Já não vemos mais crianças 'pedintes' pelas ruas da cidade", comenta Normeide Carneiro, funcionária da agência do Banco do Brasil de Mairi há 24 anos e presidente da associação.

Para evitar que as crianças ficassem nas ruas ao deixarem a creche, o projeto continuou a ampliar as atividades e a acompanhar o crescimento da garotada. "Sentimos a necessidade de fazer algo para não deixá-las na rua. Criamos as aulas de reforço escolar e as escolinhas de futebol e de música para livrar as crianças entre 6 e 14 anos dos riscos sociais da faixa etária, como drogas, prostituição e roubos", explica.

Aos adultos são oferecidos cursos de alfabetização e a possibilidade de construção de cisternas nas casas onde não há água encanada. "No decorrer do trabalho visitamos as famílias e enumeramos suas necessidades. Muitos não têm casas ou vivem de forma subumana. Nesses dez anos de atividades, buscamos recursos e construímos 23 casas, 100 cisternas, 42 banheiros e distribuímos filtros, colchões e cobertores. Também oferecemos alfabetização de adultos numa comunidade rural e em duas sedes no município".

Segundo Carneiro, no município não há indústrias e fontes geradoras de renda. A grave situação econômica da região é atenuada quando chove e os fazendeiros recrutam mão-de-obra para cuidar da terra. "Durante a maior parte do ano a população fica sem ter o que fazer para ganhar seu sustento. Os sinais mais visíveis deste problema são a mortalidade infantil elevada, a fome e a desnutrição, que deixa seqüelas para o resto da vida", observa.

A Associação Beneficente Nossa Senhora das Dores, formada por 15 membros, recebe o apoio de voluntárias nos trabalhos da creche, de 80 sócios que colaboram com quantias mensais, além de pessoas que fazem doações freqüentemente.