ano comemorativo do Centenário da PREVI, 2004, foi muito significativo para o Conselho Fiscal, que conseguiu celebrar nele algumas realizações e aspirações, há tempos reivindicadas pelos associados.

A mais importante, sem dúvida, foi o fortalecimento do Conselho Fiscal dentro da PREVI, como órgão estatutário, a compreensão pela sua autonomia e pela importância de seu trabalho, bem como de sua contribuição para a boa Governança Corporativa. Basta para demonstrar essa assertiva, o convite para a apresentação da presente mensagem, ao contrário do ocorrido no relatório anterior.

Outro aspecto positivo foi que o Conselho Fiscal conseguiu estabelecer a sua proposta de uma comunicação mais aberta com o Corpo Social, colaborando assim para maior transparência que deve reinar nos Fundos de Pensão, participando de eventos, palestras, entrevistas e artigos em órgãos informativos.

Uma pendência histórica e desafiadora, permanentemente questionada pelos participantes, o Complexo Turístico Costa do Sauípe, foi analisada profundamente, inclusive através de vistoria no próprio empreendimento, efetivada de maneira pioneira, sendo produzido um documento amplo e consistente, um trabalho que exigiu muito empenho e zelo, que ao mesmo tempo que pretende sanar os principais problemas, também objetiva auxiliar o esforço que a Diretoria está fazendo para melhorar o resultado operacional dos hotéis e pousadas.

Embora assoberbado de novas atribuições estabelecidas pela Secretaria de Previdência Complementar e sem contar com a infra-estrutura administrativa e técnica adequada para o desempenho normal de sua missão, o Conselho Fiscal dedicou especial atenção a um dos principais focos de sua atuação, o aperfeiçoamento dos controles internos da PREVI, que apresentou várias melhoras em 2004, através da adoção de procedimentos e sistemas mais rígidos e de conscientização da necessidade de mudança da cultura.

A atuação do Conselho Fiscal tem sido norteada dentro dos princípios mais modernos que disciplinam a matéria relativamente aos fundos de pensão, cuja evolução tem sido, nos últimos dois anos, de atribuir crescentes obrigações e responsabilidades. Tais alterações na legislação e nas normas regulamentares têm obrigado a um aumento considerável na carga de trabalho, com realização freqüente de reuniões extraordinárias, bem como a participação dos Conselheiros em inúmeros cursos e seminários para atualização de conhecimentos técnicos, contábeis, atuariais e financeiros.

O Conselho Fiscal da PREVI tem assumido esse novo papel, que diz respeito à análise de enquadramentos, custos, riscos, rentabilidade e até de divergência não planejada, com a consciência voltada unicamente para a responsabilidade que tem perante os milhares de associados e seus dependentes, na certeza de que está laborando para a defesa dos seus legítimos interesses e direitos.

A construção do patrimônio da PREVI nesses cem anos de sua existência e sua preservação depende do respeito pelo passado, no qual reverenciamos os fundadores, mas, sobretudo, é pelo trabalho que desempenhamos no presente que faremos o futuro acontecer.