LogoLogo
  • INICIO
  • FALE CONOSCO
  • HISTÓRICO DA REVISTA
MDN
Seguridade

O COMBUSTÍVEL DA SUA APOSENTADORIA

Entenda o papel decisivo das suas contribuições para a formação do seu benefício no Previ Futuro.

leia o artigo completo

De olho nas oportunidades

 

Aos 44 anos de idade e sete anos de filiação ao Previ Futuro, Augusto dos Santos acompanha atentamente sua pontuação para saber quando poderá fazer a Contribuição Adicional. “Já autorizei no site o desconto pela alíquota máxima de 10%, o que me permitirá contribuir sempre pelo valor máximo permitido para melhorar minha renda futura”, revela Augusto, funcionário da agência do BB em Maricá, no estado do Rio de Janeiro.

 

Bastante antenado, Augusto sabe que, ao autorizar o desconto sempre pelo teto permitido, dobra automaticamente o valor que consegue destinar à sua aposentadoria futura. “Tão logo me tornei participante da Previ, procurei me informar para programar minhas contribuições, já de olho no dia em que irei me aposentar. Já sei que quem tem direito a uma Contribuição Adicional (2B) de 4%, por exemplo, mas só autoriza descontar uma alíquota de 2%, deixa de contribuir com 2% do próprio salário e perde, assim, mais 2% da contrapartida do Banco”, conta.

 

Enquanto a pontuação não permite aproveitar a Contribuição Adicional, Augusto não fica parado. “Tenho muitos planos para o futuro e o principal deles é manter minha qualidade de vida”, afirma. Por isso, ele procura impulsionar seu saldo de conta por meio da Contribuição Complementar (2C), que pode ser feita pelo participante a qualquer momento, sem a contrapartida do Banco.

Contribuição Complementar: mensal ou esporadicamente

 

A Contribuição Complementar (2C) pode ser feita de forma mensal, com alíquota mínima de 2% do salário de participação, ou de forma esporádica, com aporte de no mínimo 20% do valor do salário. Por não incidir taxa de carregamento, todo o valor pago em Contribuição Complementar (2C) vai direto para o saldo de conta do participante.

 

O efeito dessa contribuição sobre o saldo de conta é potencializado pelo efeito da rentabilidade no tempo. Se você faz contribuições complementares mensais durante 25 anos, certamente esses aportes terão grande impacto. Por outro lado, se você deixa para fazer a Contribuição Complementar somente cinco anos antes da aposentadoria, os aportes terão de ser muito maiores para que o resultado no saldo de conta seja o mesmo.

 

Além disso, todas as contribuições pessoais efetuadas até o dia 31 de dezembro podem ser descontadas na Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física de quem preenche a declaração na modalidade completa, até o limite de 12% da renda tributável. Por isso, não perca tempo. Use o Simulador de Dedução IR, um serviço exclusivo do App Previ que permite ver o quanto você já contribuiu, calcular qual o valor disponível para a dedução no Imposto de Renda e avaliar a opção de fazer Contribuições Complementares.

 

Visite também o Simulador de Renda do Previ Futuro no Autoatendimento do site para saber quanto você receberá de renda bruta com sua contribuição atual e qual o efeito dos aportes adicionais e complementares para atender à sua expectativa futura. O planejamento de sua aposentadoria deve começar o quanto antes, e você pode aproveitar todas as oportunidades para impulsionar o seu saldo.

Meu Benefício

 

O App Previ oferece outra ferramenta fundamental e exclusiva para quem é do Previ Futuro: o Meu Benefício. Esse serviço permite ao participante checar se está no ‘rumo ideal’ e realizar ajustes na sua estratégia de aposentadoria, mudando os níveis de contribuição, data de aposentadoria ou o Perfil de Investimento.
Para usar o serviço, entre no App Previ e, quando acessar a seção Meu Benefício pela primeira vez, responda a três perguntas básicas:

 

1. Qual o benefício desejado (sem contar a parte paga pelo INSS)?
2. Com que idade pretende se aposentar?
3. Que tipo de renda deseja ter? (Com ou sem reversão em pensão; sem reversão em pensão com prazo mínimo de 5, 10 ou 15 anos).

 

Com base nessas informações e nas contribuições já realizadas pelo participante (incluindo Complementares e Adicionais), o sistema vai criar uma proposta de planejamento de aposentadoria. O participante é informado sobre o saldo que terá de acumular e a rentabilidade necessária para alcançar a meta de se aposentar na idade desejada e com uma renda no valor esperado, da forma que determinar.

 

É importante lembrar que as indicações são projeções, feitas com base em cálculos e estudos. Quem decide o que e como fazer é você.

 

Faça até duas outras simulações, se necessário, e compare os dados. Então, grave a simulação que melhor se adequa aos seus objetivos de longo prazo. Registrar uma das simulações é importante para que a informação alimente as projeções atuariais da Previ.

 

E não esqueça que o Meu Benefício também informa o perfil de investimento atual do participante. Esse dado é fundamental para avaliar se a rentabilidade do seu planejamento está alinhada ao perfil adotado.

 

Atenção


Se você ainda não tem o nosso aplicativo, vá até a loja de aplicativos do seu celular (Play Store ou Apple Store) e faça o download. Além de todos esses serviços, você terá acesso a notícias, resultados dos planos, cenário econômico e Clube de Benefícios e ainda poderá tirar dúvidas e falar com a Previ. O acesso é bem simples: basta informar sua matrícula e usar a mesma senha do Autoatendimento do site para ter a Previ na palma da sua mão.

 

Mãos à obra


As ferramentas já estão disponíveis. Só depende de você tomar medidas hoje para garantir o melhor benefício possível amanhã.

Surpresa na pontuação

 

Hugo Tomé Aquino também autorizou o teto da Contribuição Adicional (2B) em 10%. Assistente de negócios no escritório do Banco em São Paulo e filiado ao Previ Futuro desde 1998, ele se surpreendeu ao descobrir que já tinha direito a 1% de contribuição nessa modalidade, com a devida contrapartida do BB. “Sério? Que bom, eu não sabia”, diz.

 

Hugo explica que quer turbinar seu saldo no plano para compensar eventuais mudanças provocadas pela Reforma da Previdência que tornem sua aposentadoria mais difícil pelo INSS. “Assim, compenso possíveis perdas e fico mais resguardado, com um benefício melhor na previdência complementar”, argumenta.

 

Para Hugo, trata-se de uma questão de confiança. “Escolhi aumentar meu aporte no plano por causa do histórico da Previ de reduzir perdas nos momentos difíceis e captar ganhos no mercado quando a economia vai bem”, diz e completa: “É uma Política de Investimentos sólida”. Além da Contribuição Adicional autorizada, Hugo faz Contribuição Complementar (2C) mensal de 3%. “A lógica é a mesma: engordar o saldo de aposentadoria”, diz.

 

Já Marcelo Mendes da Luz, da área de Suporte do BB em Araruama, Rio de Janeiro, tem direito a 4% de Contribuição Adicional (2B) e autorizou um máximo de 5% para essa modalidade em que o Banco acompanha o aporte do associado. “Foi uma decisão consciente”, explica. Marcar qualquer percentual abaixo do teto de 10% requer atenção extra. Por isso, Marcelo conta que acompanha sua pontuação para mudar o teto se for necessário e se tiver condições de dar o seu aporte adicional. Ele também faz contribuições complementares mensais de 4%, sem contrapartida do Banco.

 

Vale reforçar que o ideal é manter a opção em 10% porque, além do aumento gerado por uma nova comissão, o percentual da Contribuição Adicional (2B) pode crescer momentaneamente graças a variações mensais no salário, como o recebimento do adicional de férias, horas extras ou substituições, por exemplo.

O valor da sua aposentadoria no Previ Futuro depende do saldo que você acumula enquanto está na ativa. Quanto maior esse saldo, maior será o benefício. E esse saldo está condicionado a três fatores: o tempo de contribuição, a rentabilidade sobre o saldo e o valor das contribuições. É sobre este último que vamos falar.

 

Todos os meses, os associados contribuem com 7% do seu salário de participação. Esse valor, que é a Contribuição Mínima (2A), é sempre acompanhado de uma contribuição de igual valor, feita pelo Banco do Brasil. Ou seja, você tem um ganho imediato de 100% sobre o valor investido. “Esse nível de retorno não existe em nenhum investimento regular disponível no mercado”, observa Alexandre Espírito Santo, economista da Órama Investimentos.

 

O efeito desses aportes no saldo de conta do participante é amplificado pelo tempo e pela rentabilidade dos investimentos. Ou seja, se você contribui por mais tempo, acumula mais dinheiro, o que faz com que, ao longo dos anos, a rentabilidade se acumule e o saldo se multiplique.

 

Por isso, nunca é bom perder tempo. E nem a oportunidade de contribuir mais. Ainda mais porque a Contribuição Mínima não é a única ferramenta à disposição dos associados do Previ Futuro para aumentar o valor da aposentadoria. Além dela, você pode contar com a Contribuição Adicional (2B) e com a Contribuição Complementar (2C) para turbinar seu saldo de conta.

 

Contribuição Adicional

 

A Contribuição Adicional (2B) pode ser de 1% a 10% do salário de participação e depende da PIP (Pontuação Individual do Participante), calculada com base na evolução de carreira do funcionário e de seu tempo de filiação ao plano. E o melhor é que essa contribuição também é acompanhada pelo Banco. Ou seja, você também tem um retorno de 100% sobre o que investiu.

 

Para verificar se você tem direito a contribuir com algum percentual para a Contribuição Adicional, basta consultar Contribuições no App Previ ou visitar o Autoatendimento do site da Previ. Além de verificar o percentual, você também pode alterá-lo para garantir os melhores resultados para sua aposentadoria. O indicado é manter a opção pela Contribuição Adicional em 10% para aproveitar todas as oportunidades de aumento do percentual.

 

Vídeo sobre a Contribuição Adicional

  • Hugo Tomé Aquino autorizou o teto da Contribuição Adicional (2B) em 10% para garantir a contribuição ao máximo, conforme a evolução de sua pontuação, e ainda ter contrapartida do BB.

Desconto autorizado

"Já autorizei no site o desconto pela alíquota máxima de 10%, o que me permitirá contribuir sempre pelo valor máximo permitido para melhorar minha renda futura", revela Augusto, funcionário da agência do BB em Maricá, no estado do Rio de Janeiro.

CONTRIBUIÇÃO COMPLEMENTAR: 2% ao mês do salário de participação, ou mínimo de 20% de forma esporádica. Sem taxa de carregamento e com dedução no IR.

Comentários

(4)
  • André Casellotto 

    Em 2013 me desliguei do BB, entretanto, permaneci filiado à Previ na modalidade autopatrocinado, ou seja, contribuo com 14% mensalmente. Mas desde então, praticamente, também contribuo com a contribuição adicional e, à medida que minha renda vem aumentando, também aumento minha contribuição adicional. Vejo na Previ uma possibilidade de investimento para um futuro melhor.
  • Augusto 

    Belíssima matéria. É muito importante esse esclarecimento.
  • Previ 

    Vitor, valeu super o elogio! A busca para trazer conteúdos interessantes e importantes para o associado é uma premissa forte da Previ. O estudo para alteração da PIP está sendo analisado pelo BB. É necessário aguardar a sua manifestação favorável para que possa ser implementado.
  • Vitor 

    Excelente matéria, é muito importante esse reforço da comunicação para divulgar as possibilidades de incremento das contribuições para a Previ. Gostaria de pedir uma revisão urgente na metodologia de cálculo do PIP, para possibilitar um acesso maior e mais flexível na Contribuição Adicional (2B).

Enviar Comentário

Nome:

E-mail:

Comentários:

Restam 450 caracteres
Os comentários são moderados e liberados posteriormente pela Previ

Temas

Gestão

1 artigo

Seguridade

4 artigos

Seu Bolso

2 artigos

Bem-estar

2 artigos