• Notícias e Publicações
  • Sala de Imprensa
  • Fale Conosco
  • Ouvidoria
  • Recadastramento
  • Previ in English

Investimentos

Cenários Econômicos

07/01/2019

Janeiro de 2019

O “Boletim Macroeconômico” é um relatório periódico que tem como objetivo informar aos participantes da Previ sobre os principais acontecimentos e atualizações referentes à conjuntura econômica. Nesse relatório também são expostas projeções realizadas pelo mercado, provenientes de fontes públicas.

Brasil

Taxa de desemprego¹ (dados coletados até 28/12/2018)

No trimestre encerrado em novembro de 2018, a taxa de desemprego atingiu 11,6%, apresentando queda de 0,5 ponto percentual em relação ao resultado do trimestre junho-julho-agosto de 2018 (12,1%). Embora o contingente de desempregados tenha sido reduzido em cerca de 500 mil pessoas de um trimestre para o outro, este número ainda supera a marca de 12 milhões de desocupados.

Um dado que merece destaque diz respeito à grande quantidade de pessoas desalentadas. Esse grupo é representado por aqueles que estão fora da força de trabalho por se acharem muito jovens, muito idosos, pouco experientes ou acreditarem que não encontrarão oportunidades. Em relação ao mesmo trimestre de 2017, esse contingente subiu 9,9%, atingindo a marca de 4,7 milhões de pessoas.

Outro dado que revela o desafio do mercado de trabalho brasileiro está relacionado ao número de empregados sem carteira assinada. Em novembro de 2018, esse contingente atingiu a marca de 11,7 milhões de indivíduos, maior volume da série histórica.

Índices de Confiança² (dados coletados até 02/01/2019)

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV), os indicadores de confiança da indústria (ICI) e do consumidor (ICC), medidos pela instituição, apresentaram crescimento de dezembro de 2018. O ICI subiu 0,5 ponto no mês e atingiu 94,8 pontos, registrando aumento em 11 dos 19 segmentos industriais pesquisados. Apesar da elevação, a confiança do setor industrial segue abaixo dos níveis alcançados no primeiro semestre do ano e ainda mostra um baixo ritmo de atividade na virada do ano.

O ICC avançou 0,6 ponto, chegando a 93,8 pontos, maior nível desde abril de 2014. Quando confrontado com o mesmo período do ano anterior, o ICC mostra um crescimento de 5,7 pontos. Em termos comparativos, observa-se que a confiança do consumidor apresenta resultados mais expressivos do que a indústria. A alta do ICC em dezembro foi determinada pela melhora da avaliação em relação à situação atual do país.

As sondagens de tendência são levantamentos estatísticos que produzem sinalizações de tendência econômica, sendo amplamente utilizadas como indicadores antecedentes de atividade econômica.

  ¹A taxa de desemprego no Brasil se refere à desocupação oficial no país e é determinada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

  ²As sondagens de tendência são levantamentos estatísticos que geram informações usadas no monitoramento da situação corrente e na antecipação de eventos futuros da economia. Por produzirem sinalizações de tendência econômica com muita rapidez, geralmente no próprio mês da coleta de dados, são amplamente utilizadas mundialmente como indicadores antecedentes de atividade econômica, ferramentas indispensáveis a empresários, governos e entidades de classe na análise de conjuntura e tomada de decisões.

 

Grafico Indice de Confianca Industria.jpg

 

Grafico Indice de Confianca Consumidor.jpg

Índice de Inflação - IGP-M³ (dados coletados até 28/12/2018)

Em dezembro de 2018, o Índice Geral de Preços (IGP-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas, apresentou redução de 1,08%. Em novembro, o indicador já havia registrado queda de 0,49%. Com isso, o índice fechou o ano com uma taxa de 7,54%. O resultado foi diretamente impactado pela variação negativa do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), principal componente do IGP-M, que terminou dezembro em queda de 1,67%. O IPA tem peso de 60% no IGP-M.

 

Grafico IGP-M.jpg

Fonte: FGV/IBRE

  ³O IGP foi concebido no final dos anos de 1940 para ser uma medida abrangente do movimento de preços. Entendia-se por abrangente um índice que englobasse não apenas diferentes atividades como também etapas distintas do processo produtivo. Construído dessa forma, o IGP poderia ser usado como deflator do índice de evolução dos negócios, daí resultando um indicador mensal do nível de atividade econômica. O IGP é a média aritmética ponderada de três outros índices de preços. São eles: Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), Índice de Preços ao Consumidor (IPC), Índice Nacional de Custo da Construção (INCC). Os pesos de cada um dos índices componentes correspondem a parcelas da despesa interna bruta, calculadas com base nas Contas Nacionais – resultando na seguinte distribuição: 60% para o IPA, 30% para o IPC, 10% para o INCC.

As principais contribuições para a queda do IPA foram dos grupos de bens intermediários (-2,66%) e das matérias-primas brutas (-2,45%), que apresentaram variação negativa em todos os itens. O destaque foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção (bem intermediário) que caiu 9,69% em dezembro. Os combustíveis para o consumo (-8,83%) também foram responsáveis pela redução da variação do grupo de bens finais, mas que foram contrabalanceados pela elevação dos alimentos in natura, que cresceram 6,10% no mês, fazendo com que o grupo apresentasse crescimento de 0,07%. 

Estados Unidos

Bolsa de Valores – S&P 5004  (dados coletados até 03/01/2019)

Em contraste à performance apresentada no começo do ano, em função dos efeitos dos estímulos fiscais e do cenário de recuperação da economia dos Estados Unidos, o mercado acionário americano terminou o ano com um fraco desempenho, caindo 6,2%, tendo os principais indicadores registrando o pior resultado desde 2008.

Além dos efeitos da Guerra Comercial entre os Estados Unidos e a China, o mercado acionário foi afetado pela elevação das taxas de juros pelo Banco Central americano, tornando menos atraente os ativos em bolsa, em função do aumento do retorno dos títulos públicos daquele país. Outro aspecto diz respeito às previsões quanto ao baixo desempenho econômico dos Estados Unidos e de outros países significativamente importantes nos próximos anos.

Grafico SP 500.jpg

4 O índice S&P 500 é composto por quinhentos ativos (ações) selecionados devido ao seu tamanho de mercado, sua liquidez e sua representação de grupo industrial. Cada ativo é ponderado de valor de mercado, ou seja, o peso de cada ativo no índice é proporcional à sua importância no mercado. Os ativos do índice são negociados nas duas principais bolsas norte-americanas: NYSE (New York Stock Exchange) e NASDAQ.

Um importante sinalizador da mudança na velocidade dos mercados, frente à perspectiva de desaceleração da economia americana, diz respeito ao comportamento do preço do petróleo. Neste caso, apesar do acordo entre a Opep e a Rússia para reduzir a produção de petróleo em 1,2 milhão de barris por dia a partir deste mês, o preço do petróleo West Texas Intermediate caiu mais de 40 por cento em relação à maior alta do ano ocorrida em outubro. Essa queda está relacionada à expectativa de redução da demanda por energia em maior escala do que a redução na produção dos países da OPEP.
 

Projecao.png

__________________________________

O presente boletim, de caráter informativo, foi produzido com base em dados publicamente divulgados. A Previ não declara, tampouco garante, de forma expressa ou tácita, que tais dados sejam imparciais, precisos, completos ou corretos. Cenários, análises, projeções, prognósticos e estimativas com base em tais dados estão sujeitos a riscos e incertezas e podem ser, ainda, e a qualquer momento, prejudicados, desconsiderados e descartados, até mesmo como decorrência, por exemplo, de mudanças na conjuntura nacional e/ou internacional, divergências nos critérios e métodos interpretativos e/ou nos fatores de riscos sistêmicos e/ou associados a alterações geopolíticas, políticas, econômicas, sociais, legislativas ou regulatórias. Este boletim não deve, em nenhuma circunstância, ser considerado como indicação, orientação, recomendação ou fonte para tomada de decisões. Compete a cada leitor realizar pesquisas, estudos e análises devidas. Qualquer eventual decisão ou ação é de sua exclusiva responsabilidade, não podendo a Previ, em nenhuma hipótese, ser de qualquer forma responsabilizada, inclusive, por qualquer perda ou dano, direto ou indireto. A Previ não assume qualquer compromisso ou obrigação, inclusive de revisar, atualizar ou complementar este boletim. A reprodução, divulgação, distribuição ou compartilhamento não expressamente autorizado deste boletim,  ou de qualquer parte dele, sujeitará o infrator às penalidades legais.

Previ - Diretoria de Planejamento