LogoLogo
  • INICIO
  • FALE CONOSCO
  • HISTÓRICO DA REVISTA
MDN
Seguridade

PREVI FAMÍLIA: ANO 1

Plano que atende associados da Previ e seus familiares completa o primeiro ano com mais de R$ 50 milhões de patrimônio

leia o artigo completo

Confiança

Essa percepção está na base da análise do diretor de Seguridade da Previ, Wagner Nascimento, ao projetar o crescimento do novo plano no médio prazo. “Tivemos um ótimo desempenho em relação ao patrimônio do plano no primeiro ano de atividades e temos boas expectativas de crescimento do número de associados no Previ Família”, diz.
 

É preciso lembrar que o plano é aberto aos próprios participantes dos demais planos administrados pela Previ, o que inclui os associados oriundos de bancos incorporados que contrataram a Capec, e para parentes até o terceiro grau, o que possibilita um potencial de crescimento enorme para o Previ Família. Por isso, os números do plano em seu primeiro ano de existência mostram a confiança dos associados na Entidade, mesmo durante uma crise sem precedentes como a que estamos vivendo. Wagner e sua esposa já são filiados ao plano, e ele aposta na competitividade do Previ Família para a atração de mais associados.
 

“O plano não tem objetivo de lucro. Todos os ganhos revertem para os associados: a taxa de carregamento é zero e a taxa de administração diminui conforme o patrimônio aumenta”, explica o diretor de Seguridade. “Para quem está em um plano de previdência complementar aberta, as vantagens da portabilidade para o Previ Família são enormes”.

Experiência

Entre essas vantagens está a experiência centenária da Previ na administração de investimentos previdenciários. “A Previ é a entidade mais longeva e respeitada do ecossistema previdenciário brasileiro”, resume Marcelo Otávio Wagner, diretor de Investimentos da Previ, que tem uma longa experiência no mercado de previdência complementar – foi executivo da BrasilPrev por quase quinze anos, primeiro como superintendente de Planejamento e Riscos de Investimentos e, posteriormente, como diretor financeiro, até ingressar na Diretoria Executiva da Previ no início de 2020.
 

Para Marcelo, a dinâmica da sociedade, com envelhecimento populacional e transformações no mercado de trabalho, traz novos riscos para o futuro. “Nesse cenário, é cada vez mais importante que cada indivíduo seja capaz de cuidar do próprio futuro”, explica. E, para fazer isso, é essencial contar com uma entidade que tem como propósito “cuidar do futuro das pessoas”.
 

“O Previ Família é uma ferramenta importante nesse sentido e pode ajudar a mitigar alguns riscos pelo caminho”, continua Marcelo.
 

“O primeiro risco é não acumular recursos suficientes para o futuro. O segundo é tomar decisões erradas de longo prazo, que prejudiquem a formação desta reserva”, continua Marcelo. “Outro risco é o do envelhecimento. Estamos vivendo mais e vamos precisar de recursos por mais tempo. E o quarto e último é o que chamo de ‘inflação do envelhecimento’, que são os gastos para manter a qualidade de vida e a saúde na velhice”.


O diretor de Investimentos vê no Previ Família uma ferramenta importante para enfrentar esse cenário. Ele avalia que a criação do plano foi um passo essencial para reforçar a cultura previdenciária entre os familiares dos associados da Previ. “O Previ Família preenche um espaço importante em um cenário no qual, cada vez mais, as pessoas precisam se preocupar em reduzir os riscos do futuro”, conclui.

Em março de 2020, a Previ dava o pontapé inicial em um projeto sonhado durante anos: a criação de um plano de previdência complementar para atender aos familiares e os próprios associados dos Planos 1, Previ Futuro e Capec. Um plano que estendesse a segurança e a solidez centenárias da Previ às nossas famílias. Nascia assim o Previ Família. E, apesar das dificuldades impostas à economia pela pandemia da Covid-19, o novo plano foi um sucesso que acaba de alcançar R$ 50 milhões de patrimônio nos 12 primeiros meses de atividade.

 

Por sua flexibilidade, o Previ Família atraiu associados de diferentes idades, desde bebês até pessoas já aposentadas que querem realizar novos projetos. Antonio Tremarin, conselheiro consultivo do Plano 1, inscreveu a neta recém-nascida, Juliana Tremarin Hilzendeger, no plano em janeiro deste ano. “Tenho uma boa aposentadoria e agora quero cuidar dos meus netos”, explica.
 

Tremarin é um entusiasta do Previ Família. “Faço propaganda para todo mundo”, diz. Ele conta que pretende inscrever suas duas outras netas, Paula e Olívia, no novo plano. “Vou fazer a portabilidade de um investimento para abrir um Previ Família para elas também”.

Vínculos

Além de proteger quem a gente ama, o Previ Família também pode ser uma opção para quem deixou o Banco do Brasil, mas quer manter o vínculo com a Entidade. É o caso de Daniela Cavaco, ex-gerente de uma agência em Florianópolis, que saiu do BB em fevereiro no último Plano de Adequação de Quadros (PAQ).
 

“Fiz a portabilidade dos recursos do Previ Futuro depois de 22 anos e sete meses de Banco”, conta. Daniela explica que foi uma maneira de manter as vantagens de contar com a confiabilidade de uma entidade sólida como a Previ na gestão de sua poupança previdenciária. “A Previ me passa uma segurança que não se encontra em outro lugar”, afirma.
 

Ex-diretor do Banco e aposentado pelo Plano 1 em 2017, Antônio Machado, por sua vez, viu a oportunidade de diversificar seus investimentos com a confiança do Previ Família. “Fiz a portabilidade de outros investimentos e seguros, que eu possuía em associações e bancos de varejo, para o Previ Família. E fiz aportes extras nesse primeiro ano também”, explica.
 

Antônio conta que o próximo passo é preparar o ingresso dos seus três filhos no Previ Família. “Também tenho sobrinhos que estão esperando para se filiar ao plano assim que puderem”, diz. Para ele, a adesão de familiares dos associados ao novo plano é uma questão de lógica. “Quem tem parentes no BB sabe que a Previ é um porto seguro e fica estimulado a se filiar ao Previ Família”.

  • Antônio Machado e o filho João Antônio. Aposentado do Plano 1, ele conta que fez a portabilidade de outros investimentos e seguros que possuía em associações e bancos de varejo para o Previ Família.

  • 10 motivos para aderir ao Previ Família

Associados e não associados podem se inscrever no Previ Família. Veja o passo a passo:

"O plano não tem objetivo de lucro. Todos os ganhos revertem para os associados: a taxa de carregamento é zero e a taxa de administração diminui conforme o patrimônio aumenta", Wagner Nascimento, diretor de Seguridade

Comentários

(0)

Enviar Comentário

Nome:

E-mail:

Comentários:

Restam 450 caracteres
Os comentários são moderados e liberados posteriormente pela Previ